Empresas já se preparam para vendas de móveis na Black Friday

Vendas de mobiliário durante a data em 2017 acelerou o comércio do setor, com aumento de 6,1% na passagem de outubro para novembro, aponta IBGE

Publicado em 27 de agosto de 2018 | 18:50 |Por: Luis Antônio Hangai

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Pequenas, médias e grandes varejistas já começam a se preparar para a venda de móveis na Black Friday, que neste ano está programada para o dia 23 de novembro. Em 2017, as lojas online faturaram R$ 2,1 bilhões de vendas em todo o Brasil, um crescimento de 10% com relação a 2016, segundo dados do e-Bit. A data promocional tem se consolidado como uma das mais atrativas do comércio em função de descontos que chegam a 80%, alavancando as vendas de fim de ano em vários segmentos do comércio, inclusive o moveleiro.

O consumo do segmento de eletrodomésticos e móveis na Black Friday, por exemplo, foi alta ano passado, puxada sobretudo pela data promocional. Na passagem de outubro para novembro de 2017, cinco das oito atividades pesquisadas tiveram resultados positivos, sendo que o segundo maior avanço foi observado em mobiliário e eletro, com aumento de 6,1%. Em primeiro lugar ficou “outros artigos de uso pessoal e doméstico”, com taxa de 8,0%.

Especialista do Google dá dicas exclusivas ao varejo sobre a Black Friday

Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e apontaram que as vendas do comércio varejista como um todo voltaram a crescer em novembro de 2017 a taxa de 0,7%, estimuladas, principalmente, pelas promoções dessa época do ano, como a Black Friday.

“O que observamos em novembro é que as atividades mais sensíveis às promoções de novembro – que tem o foco nas vendas pela internet – foram as que se destacaram. Isso mostra que a queda de outubro foi uma postergação de compras para novembro”, comentou na época a gerente da Pesquisa Mensal do Comércio, Isabella Nunes.

Divulgação

capa black friday

Black Friday no Brasil é uma das datas mais fortes no consumo via e-commerce

Planejamento é crucial para vendas de móveis na Black Friday

A Black Friday (ou sexta-feira negra) nasceu nos Estados Unidos, onde anualmente na sexta-feira após o feriado de Ação de Graças as lojas físicas e online estabelecem o objetivo de queimar os estoques e abrir espaço para novos produtos com foco na temporada de Natal. A promoção chegou ao Brasil em 2010, com forte presença no ambiente online, mas aqui foi preciso a criação da Black Friday Legal para coibir promoções fraudulentas e descontos ilusórios.

É justamente a venda pela internet de móveis na Black Friday que vem ganhando cada vez mais espaço entre empresas com foco no e-commerce. Algumas lojas virtuais já estão com os dias contados para a promoção, como por exemplo a LojasKD, que em 2017 fixou descontos em cerca de 27 mil móveis e 5 mil ambientes. Já a empresa Meu Móvel de Madeira rebatizou sua Black Friday de Happy Friday: seus produtos mais vendidos foram estantes, camas, penteadeiras e racks.

Já a Mobly, especializada em vendas de móveis online,  faz os preparativos para a Black Friday desde o começo do ano, mas é em agosto que a empresa de e-commerce inicia ações mais ostensivas. De acordo com o gerente comercial, Douglas Pires, neste mês serão iniciadas visitas aos principais polos moveleiros do Brasil (como o de Ubá, Bento Gonçalves, Arapongas e interior de São Paulo, por exemplo) para encontrar as melhores condições junto aos fornecedores de móveis.

Para evitar qualquer frustração ao consumidor estamos nos preparando logisticamente. Assim termos mais produtos a pronta entrega

Ele afirma também que serão mais de mil itens com descontos de 80% durante a data, além de 10 mil outros itens promocionados, o que equivale a mais de 40% do cardápio da empresa. As categorias que mais performam na Black Friday da Mobly são estofados (sofá, sofá-cama e poltrona), conjuntos de mesa de jantar, racks, painéis e guarda-roupa.

“Para evitar qualquer frustração ao consumidor estamos nos preparando logisticamente. Abrimos operação em Santa Catarina para armazenar produtos importados: são mais de 150 contêineres de produtos importados da China. Nosso Centro de Distribuição está disponível para um aumento de 50%. Assim termos mais produtos a pronta entrega, com prazos de entrega mais curtos”, diz o gerente.

Lars Leber: “planejar com antecedência é fundamental para ter lucro na Black Friday”

A promoção não é apenas executada por grandes varejistas, mas está também ao alcance de negócios de menor porte. De acordo com a Intuit, multinacional do Vale do Silício que desenvolve e vende sistemas de gestão financeira, as vendas de móveis na Black Friday entre micro, pequenas e médias empresas podem ser potencializadas se elas ficarem de olho no planejamento estratégico.

O country manager da Intuit no Brasil, o alemão Lars Leber, diz que se planejar com antecedência é fundamental para obter bons resultados durante a Black Friday. Isso porque os altos descontos – comuns nas promoções da data – podem não redundar em adequadas margens de lucro. Ao contrário, se a empresa não estiver preparada, a alta demanda combinada à insuficiência de estoque e percalços logísticos podem mesmo comprometer a imagem da marca no mercado e sua lucratividade.

“Um conselho é comprar mercadorias com valor vantajoso no começo do ano, investir com antecedência, pensando já em promoções futuras como a Black Friday, para ser possível trabalhar com descontos maiores. Uma das vantagens desta data é poder atrair novos clientes. Então é muito importante evitar a experiencia de compra ruim, para o efeito não ser reverso. É preciso analisar exatamente quais produtos geram mais retorno, manter um bom estoque deles, verificar condições financeiras e enfim aplicar descontos que não prejudiquem o seu negócio”, diz Leber.

No setor moveleiro, por se tratar de produtos grandes, cujos valores são relativamente altos e demandam linhas de crédito, as empresas devem estar atentas às condições de frete e de financiamento. “Neste segmento o planejamento é ainda mais importante. Se o desconto não caber no bolso da empresa e ela ainda tiver que que lidar com muitos parcelamentos, isso pode comprometer sua saúde financeira”, adverte.


Os comentários estão desativados.

eMobile