Tecnologias para maior produtividade da marcenaria

Modernização das máquinas não se resume apenas aos fabricantes seriados. Veja como sua marcenaria pode evoluir em eficiência produtiva

Publicado em 8 de outubro de 2018 | 8:00 |Por: Thiago Rodrigo Pereira da Silva

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O trabalho artesanal que sempre esteve na raiz da marcenaria sofreu ao longo dos anos a introdução de tecnologias que propiciaram o uso cada vez menor da atividade manual. Com as inovações chegando para reformular o antigo modo de trabalho, hoje a marcenaria moderna é formada por máquinas altamente tecnológicas e flexíveis integradas com softwares voltados para a alta produtividade da marcenaria.

Desta forma, o conhecimento de fabricação dos móveis e o controle dos processos passam a ser institucional e não mais pessoal. O gerente de vendas da SCM Tecmatic, Tiago Rodrigo Costa, aponta que a responsabilidade de projetar o móvel, indicar quanto de material será utilizado, como será montado, entre outras tarefas, não fica mais na mão da figura tradicional de um ou mais marceneiros, mas sim em sistemas informatizados da própria empresa. “A marcenaria se comunica diretamente com as máquinas de forma totalmente integrada e automática”, destaca.

Assim, Costa afirma que deixam de existir pessoas que planejam manualmente o que será produzido e começam a surgir softwares de projetos com alta precisão, que além de fornecer todas as informações pertinentes à produção, programam automaticamente as máquinas do parque fabril. “Todos trabalharão respeitando métodos, fazendo com que a qualidade do produto final aumente junto com a praticidade e velocidade dos processos produtivos, resultando em maior competitividade da empresa”, assinala o gerente da SCM Tecmatic.

Produtividade da marcenaria

Para o marceneiro que quer evoluir seu negócio e criar uma marcenaria tecnológica com alta produtividade da marcenaria, atingindo a tríade otimização de processos, velocidade de entrega dos pedidos e total qualidade no produto final, além do maquinário essencial como seccionadora, coladeira de bordas e centro de furação ou centro de usinagem, é necessário o investimento em softwares de projeção/otimização e gerenciamento produtivo.

E o coração desta produção moderna é algo que as fornecedoras de máquinas já integram em seu rol de máquinas, indo adiante dos softwares de comando de maquinário como o CNC (controle numérico computadorizado), e abrangendo soluções CAD (desenho auxiliado por computador) e CAM (fabricação assistida por computador).

A Homag desenvolveu o woodCAD|CAM que permite a criação do móvel, estipula o custo completo e instantâneo e envia todas as informações necessárias para as máquinas na produção. “Com o software é possível criar um móvel sob medida em instantes e logo ter disponível todo pacote de dados como lista das peças que o compõe, desenhos de cada item, catálogo de montagem, entre outros”, ressalta o gerente comercial da Homag, Rogério Gualassi.

O programa também faz alterações no móvel de forma simples, rápida e segura. “Vamos imaginar que após o término do projeto, e após conferência no local do cliente, algumas medidas devem ser alteradas. Isto não seria problema, pois em instantes e de maneira totalmente descomplicada, o desenho é alterado e o projeto é ajustado automaticamente e todas as peças com novas medidas de cortes e furações são imediatamente apresentadas”, aponta Gualassi.

Confira os novos nomes das máquinas da Homag na única revista digital do setor moveleiro

Ele acrescenta: “Nossa empresa oferece soluções para marcenarias inteligentes de maneira modular. Há soluções desde a venda até a entrega do móvel final, incluindo a demonstração do móvel em 3D no ponto de venda e o investimento é estruturado, ou seja, pode ser feito de uma maneira gradual até atingir o conceito completo da Indústria 4.0”.

A Holz-Her, empresa alemã representada no Brasil pela B.Krick, possui o Cabinet Control, programa que funciona em conjunto com seccionadoras e centros de usinagem da companhia que também executa todo projeto do móvel. “Isso significa fazer o desenho do móvel, ver como construí-lo, saber o custo do total da produção e gerar o orçamento completo para o cliente. Tudo na hora e 100% otimizado”, explica o consultor técnico-comercial da B.Krick, Marco Martins, que enfatiza: “O Cabinet Control possui a versão de escritório e da máquina fazendo tudo se interligar”.

Já a SCM Tecmatic possui o software Xilog da própria empresa que auxiliam a utilização dos centros de usinagem e de furação da empresa. Para outros processos, a companhia utiliza programas das empresas desenvolvedores de softwares.

“Por exemplo, o marceneiro pode fazer o desenho num programa da marca Promob, que processa tudo que foi desenhado e direciona para a produção, entrando em comunicação com software de corte da marca Corte Certo na seccionadora. Após isso, são geradas informações para o profissional que trabalha na coladeira de borda saiba o que fazer. Em seguida, é feito para cada peça uma programação em automático para que o operador e o centro de usinagem carreguem a operação dentro do Xilog”, explica Tiago Rodrigo Costa, que frisa: “Em poucas palavras, essa é a comunicação de uma produção integrada”.

Contribuindo para a automatização dos processos para uma maior produtividade da marcenaria, a Promob conta com leque de softwares que realizam todas as etapas de produção, como o Promob Plus para projetar e produzir projetos, além de ferramentas para orçamentos e listagem de peças, e que pode ter agregado o plugin Promob CUT para o planejamento de corte; o Promob Planner que também faz o planejamento de corte, etiquetas e listagem de itens para a compra com custos e configura furação e rasgos na chapa com a integração com máquinas, além de controlar o status dos projetos.

Ainda há o Promob Start, que possibilita ao cliente uma biblioteca personalizada para venda dos móveis e gera toda a informação necessária para a produção automatizada, permitindo integração com os mais diversos tipos de máquinas de usinagem, como nesting. “Todas estas ferramentas automatizam processos existentes nas marcenarias, reduzindo tempo necessário para gerar informações para a produção que são feitas manualmente”, diz o diretor de projetos da Promob, Franco Alves.

Atingindo a tríade

Com a produção integrada, alcançar a otimização de processos, velocidade de entrega dos pedidos e total qualidade no produto final, fica mais fácil ter maior produtividade da marcenaria. O primeiro se dá em diferentes estágios da produção de móveis, segundo Rogério Gualassi, da Homag.

Na criação do móvel, no qual é feita em softwares CAD que torna o processo mais rápido, seguro e econômico; na oferta, atendendo pedidos de custos em pouco tempo; na produção, que é otimizada devido a transferência automática das listas de fabricação para as máquinas, com o operador tendo apenas a tarefa de inserir as peças nas máquinas.

Divulgação Holz-Her

Tecnologias para produtividade da marcenaria

Tecnologias para alta produtividade da marcenaria é composta maquinário e software integrados que visam principalmente a otimização de processos

A montagem final do projeto é a última etapa que vai gerar maior produtividade da marcenaria. “Os processos aprimorados da marcenaria moderna possibilitam que o montador se guie por meio das etiquetas de cada peça. A ajuda do catálogo de peças auxilia de maneira exata como o móvel deve ser montado, assegurando a agilidade e precisão da montagem final”, complementa Gualassi.

A melhoria dos métodos de fabricação do móvel colabora de modo substancial para o segundo ponto, a velocidade de entrega dos pedidos. “Com a marcenaria moderna, isso aumenta em mais de 100%, pois todos os processos são melhorados e agilizados, desde a venda, criação até a montagem final”, diz o gerente da Homag. E toda essa produção ainda garante uma qualidade do produto consideravelmente melhorada, devido a precisão dos processos e igualmente pela capacidade de acabamento dos maquinários.

Casos de sucesso

Há seis anos atuando no mercado sob medida a Ekosul dobrou sua capacidade produtiva após agregar tecnologias em maquinários e processos, praticando controle de qualidade rigoroso. A empresa agregou máquinas de alta tecnologia com software para gerar a programação para enviar para o maquinário produzir os móveis. “Conheci o Giotto, software para desenvolver os produtos com todos detalhes de engenharia, e posso apresentar o projeto ao cliente gerando uma imagem com qualidade em todos os tipos de produtos”, conta o gerente administrativo da Ekosul Móveis Sob Medida, Alexandre Cavichiolli.

Giben apresenta tecnologias em máquinas e software para marcenaria

Com a solução, a velocidade de entrega dos pedidos pode ser feita em até 18 dias úteis. “Para chegar a esse prazo, o software foi essencial, desenvolvendo o projeto ao cliente em pouco tempo”, diz Cavichiolli. Ele explica que, após a concretização da venda, o projeto vai diretamente para produção e apenas passa por conferências no controle de qualidade, conseguindo, assim, ter maior produtividade da marcenaria.

O aperfeiçoamento dos processos também foi alcançado com a opção por uma única máquina para executar cortes, furação e usinagens diversas. “Ganhamos tempo com setup e com isso reduzimos custo operacional. Por ser uma máquina de porte médio, o espaço é melhorado e não precisamos investir em área construída. A opção pela Pratika 320 Nesting, da SCM Tecmatic, garantiu aproveitamento de material excelente com corte de peças minúsculas e até tampos redondos em uma única ação”, explica o gerente da Ekosul.

Divulgação Ekosul Marcenaria

Tecnologias para produtividade da marcenaria

O maquinário CNC que o mercado oferta possui acessibilidade tanto em preço quanto linhas de crédito. Na foto, Alexandre Cavichiolli, da Ekosul

Já para a Barros Decorações, o maquinário adquirido há três anos e proveniente da Alemanha, incrementou qualidade aos produtos da marcenaria e deram eficácia ao processo com maior confiabilidade nos trabalhos executados, abreviando a entrega de pedidos por conta da alta produtividade da marcenaria alcançada. “Os softwares de máquina otimizaram o aproveitamento de chapas e sistemas de furação retirando um pouco de nossa cultura artesanal incrustada há décadas, porém, ainda presente”, declara o sócio-proprietário, Carlos de Barros.

Promob e SCM realizaram Portas Abertas

Com maquinário da Holz-Her, a marcenaria teve um ganho de 30% no computo geral de atendimento dos prazos. “Porém, não há fórmula mágica e tem de pagar o equipamento. Quando adquiridos, as máquinas foram pagas totalmente em dois anos. A partir daí pode-se dizer que começou a redução efetiva da amortização do investimento”, explica Barros.

Para quem quer evoluir a produtividade da marcenaria, o proprietário da Barros Decorações dá algumas dicas. “Deve-se ter em mente a demanda existente, prazos de amortização do maquinário e o volume do investimento para não consumir o capital de giro e comprometer a parte financeira. Em contrapartida, não se pode medir estes fatores pela demanda reprimida atualmente, vislumbrando sempre médio e longo prazo”, observa.

Indústria 4.0 na marcenaria

O conceito geral da Indústria 4.0 é a comunicação entre as coisas. Na fabricação de móveis a comunicação entre peças e máquinas, sistemas de produção integrados a sistemas de vendas online e financeiros são etapas que fazem parte do conceito Indústria 4.0. Soluções de softwares integrados às máquinas, assim como tecnologia e interligação de sistemas para a formação de um sistema único, já são ofertados pelas fabricantes de máquinas, como Homag, com o woodCAD|CAM; e a Holz-Her como Cabinet Control.

Reportagem originalmente publicada na edição 97 da Móbile Sob Medida


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile