Tudo em dia no contas a receber da marcenaria

Formalização e disciplina são duas premissas fundamentais para o controle dos pagamentos dos clientes da marcenaria

Publicado em 15 de outubro de 2018 | 8:00 |Por: Portal eMobile

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Confiança é um valor importante quando se tratam de parcerias de negócios – e é muito frequente na relação entre o marceneiro e o seu cliente, não é mesmo? Mas quando a marcenaria atinge um determinado patamar e para que ela possa crescer ainda mais e de maneira sustentável, torna-se necessário estabelecer alguns controles para que as finanças fiquem em dia. Entre eles, um dos mais importantes, é o contas a receber da marcenaria, assunto desta reportagem.

Rodolfo Buhrer

Contas a receber da marcenaria

“É um trabalho permanente e o desafio principal é a disciplina”, aponta Emerson Cechin Sebrae-PR

“Esse controle é baseado no princípio das vendas. Ao realizá-las, o marceneiro precisa ter um documento que oriente essa operação, que pode ter origem em nota fiscal ou pedido simples, mas deve especificar as informações de pagamento”, observa o consultor do Serviço Nacional de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná (Sebrae-PR), Emerson Cechin.

O importante, salienta o especialista, é que se formalize essa venda e essa ordem de pagamento de alguma maneira, mesmo que seja em contatos via e-mail (que sejam guardados) ou contratos assinados por ambas as partes.

Formas de pagamento

Entradas no aceite do orçamento, parcelamentos e o restante do pagamento na montagem do móvel também são situações que precisam estar previstas neste documento. “Isso dá uma garantia para a gestão do [controle de] contas a receber, é uma forma de cobrar legalmente o cliente pelo compromisso previamente assumido”, argumenta o consultor.

Além disso, lembra Cechin, ter essa previsão permite que o gestor tenha o controle da quantia a ser recebida por período, evitando que ele mesmo faça aquisição de matérias-primas, por exemplo, com vencimento em datas em que ele ainda estará aguardando o recebimento dos seus pagamentos.

Faça o download da planilha de Contas a Receber

“É fundamental para garantir a sustentabilidade de uma marcenaria, principalmente da pequena que, em geral, não tem um capital de giro alto”, acrescenta a gerente de operações do Instituto Mahagestão, voltado para a melhoria da gestão das micro e pequenas empresas, Liana Braia Felippe.

No controle do contas a receber

De nada adianta formalizar a ordem de pagamento, se não houver uma forma de reunir essas informações e fazer a gestão – e as cobranças quando preciso. Uma planilha simples, com poucas informações (veja a sugestão do Sebrae) pode ser uma saída. Com o tempo e o aperfeiçoamento, vai se tornando possível a aplicação das fórmulas de programas como o Excel para automatizar os cálculos da planilha. “O fundamental é saber como está e gerir a carteira, poder saber quais serviços estão pagos, quais necessitam de cobrança”, reforça Cechin.

Eduardo Simioni Fotografia

Contas a receber da marcenaria

“O marceneiro deve atentar-se aos prazos das parcelas para não comprometer seu fluxo de caixa. Talvez ele esteja pagando os fornecedores em duas vezes e parcelando para os clientes em dez”
Liana Braia Felippe Mahagestão

O tipo do controle e as ferramentas utilizadas para isso vão depender do porte da empresa e do volume dos recebíveis, de acordo com Liana. “Um mínimo necessário é o controle em papel (fichários), um controle manual para pequenos volumes. Em níveis intermediários, o uso de planilhas facilita bastante (semi-automático) e já é necessário”, resume.

Para volumes maiores, a especialista do Mahagestão sugere o uso de um sistema integrado ou ERP, “em que as vendas são 100% automatizadas, atualizando contas a receber, possibilitando mais facilmente a conciliação bancária e análise de fluxo de caixa”.

Liana pondera que as perdas evitadas acabam justificando os custos com a adoção do modelo. Por outro lado, para quem está começando também existem softwares disponíveis na internet, alguns com possibilidade de experimentação gratuita ou totalmente sem custo.

Manutenção dos equipamentos de pintura

De toda maneira, qualquer que seja a ferramenta escolhida para a realização do registro e controle, é preciso que o marceneiro reserve algum momento do seu dia – preferencialmente as primeiras horas da manhã – para colocar essas informações em dia.

Caso não possa se afastar da produção – uma realidade frequente na maior parte das empresas de menor porte – o consultor do Sebrae indica que a família se envolva no negócio e a esposa ou os filhos se apropriem da atividade do controle de contas a receber.

Uma dica fundamental que Emerson Cechin concede é a aposta no cartão de crédito. Para ele, é a forma de pagamento que melhor favorece o controle de contas a receber devido à segurança. “Uma vez aprovado o crédito, a operadora se compromete e o pagamento acontece. Evita precisar correr atrás de recebimentos”, aponta.

Vantagens do controle de contas a receber

– Saber a data e o montante dos valores, os descontos concedidos, e os juros recebidos;
– Saber quem são os clientes que pagam em dia; o montante dos créditos já vencidos e os períodos de atraso;
– Tomar providências para a cobrança e o recebimento dos valores em atrasos;
– Identificar os principais clientes, o grau de concentração das vendas, e a qualidade e a regularidade dos clientes;
– Acompanhar a regularidade dos pagamentos, e programar as ações para cobrança administrativa ou judicial;
– Fornecer informações para elaboração do fluxo de caixa.
– Fazer conciliação contábil.
Fonte: Sebrae

Reportagem originalmente publicada na edição 98 da Móbile Sob Medida


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile