Prêmio de Design Movelpar estimula fabricantes rumo à cultura da inovação

Premiação com inscrições abertas até o dia 18 de dezembro deste ano ocorrerá em paralelo à Movelpar com foco na originalidade do produto

Publicado em 6 de novembro de 2018 | 16:03 |Por: Luis Antônio Hangai

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Nesta terça-feira (6) foi lançada oficialmente a primeira edição do Prêmio de Design Movelpar. O projeto que está integrado ao principal evento moveleiro do polo de Arapongas (PR) – agendado para os dias 18 a 21 de março de 2019 – visa reconhecer a produção criativa das indústrias e marcenarias expositoras da Feira de Móveis do Estado do Paraná (Movelpar). As inscrições estarão abertas a partir do dia 18 de novembro e seguem até 10 de janeiro de 2019.

O prêmio é uma articulação entre o Expoara Centro de Eventos (local que tradicionalmente abriga a Movelpar), a Associação Brasileira das Indústrias de Mobiliário (Abimóvel), Agência de Promoção de Exportação do Brasil (Apex-Brasil) e Centro Brasil Design. O objetivo é que a premiação ocorra a biênio, sempre em paralelo à feira de móveis do norte paranaense.

Relembre os destaques da Movelpar 2017

Em edições anteriores a Movelpar já havia promovido reconhecimentos na área do design, mas desta vez o projeto foi reformulado e agora convoca exclusivamente as empresas expositoras da feira e as marcenarias participantes.

Para a diretora do Expoara, Rosana Belo, o 1º Prêmio de Design Movelpar pretende receber projetos que reúnam usabilidade aos usuários, interesses de relações comerciais, nuances estéticas e a viabilidade de fabricação dos produtos.

“Na minha concepção, somada aos históricos do momento do polo de Arapongas, a busca do desenvolvimento do design, a facilitação para a criação de produtos e estímulo à inovação têm se mostrado essenciais para o setor moveleiro. Sendo assim, para revitalizar o prêmio que já existiu na Movelpar, fomos buscar a colaboração de pessoas que pudessem trazer conteúdos inovadores e de mercado para este evento”, comentou a diretora.

Da esquerda para direita: a jornalista Monica Barbosa, o designer Marcos Batista, a diretora do Expoara, Rosana Belo, e a diretora-executiva da Abimóvel, Cândida Cervieri

Curadores do Prêmio de Design Movelpar

Para compor a curadoria do 1º Prêmio de Design Movelpar foram convidados a jornalista especializada e colunista semanal da Revista Caras, Monica Barbosa, e o designer e apresentador do programa Inova360 da Record News, Marcos Batista. A primeira atuará como curadora responsável e o segundo como curador técnico da premiação. Ambos estarão encarregados de selecionar os projetos que seguirão para a etapa final.

Os projetos selecionados pela curadoria serão expostos na Movelpar e então passarão pelo crivo de um júri constituído por membros da academia, imprensa, arquitetura de interiores, design e especialistas da indústria. A votação final será realizada no dia 18 de março, durante a feira, e os vencedores (os três primeiros colocados em cada categoria) serão anunciados no dia 19.

Designer aponta perspectivas para o futuro do móvel brasileiro

Os curadores esperam que o prêmio se constitua como uma provocação à indústria moveleira no sentido de atentá-la para a importância da originalidade dos produtos e também quanto aos movimentos culturais, estéticos e tecnológicos que configuram a nova economia. Segundo eles, a questão do design não se restringe à estética e funcionalidade do produto, mas brota de uma nova cultura empresarial com foco em diferenciação no mercado e emprego de novas tecnologias e estratégias de negócio.

“A missão do prêmio não é só dar o status e premiar as pessoas pelo lado estético, mas sim promover a utilização do design na indústria como ferramenta. Os critérios da premiação já levam a um pensamento, um entendimento e uma busca de adaptação a essas necessidades, fazendo um movimento que obriga o participante a pensar Isso já começa a promover uma mudança, nem que seja na cabeça do empresário, na hora de fazer a inscrição, até a concepção do produto”, diz Monica Barbosa.

Para Marcos Batista, o prêmio não tem um fim em si mesmo, mas serve como ponto de partida para a geração de novas ideias:

“Nosso primeiro trabalho não foi pensar apenas na premiação, mas entender de que maneira a gente chega a produtos inovadores. Partimos de uma visão ampliada do que é design. A nossa ideia é continuar no pós-premio, para que a premiação seja uma gerador de conteúdo. A ideia é trabalharmos na construção de novas ideias, na mobilização das pessoas sobre o que é realmente a inovação no setor moveleiro”, afirma o designer.

Regulamentos e critérios

Os participantes do 1º Prêmio de Design Movelpar poderão se inscrever em duas categorias. A primeira é voltada para Grandes e Médias Empresas, com oito modalidades e inscrição exclusiva para expositores da Movelpar. A segunda é a Sebrae/APL de Móveis, que contempla as marcenarias que estão cadastradas e irão participar da feira de móveis. Os projetos devem necessariamente ser autorais e assinados por um designer, arquiteto ou artista.

As modalidades para a primeira categoria são móveis para sala de estar; móveis para sala de jantar e copa; móveis para quarto; móveis para cozinha; móveis para banheiro; móveis para área externa e linha rústica; móveis infantis; e móveis corporativos e escritórios. Os participantes só poderão participar de uma categoria, mas são livres para inscreverem produtos em mais de uma modalidade.

As inscrições serão recebidas pelo site movelpar.com.br/premio (que estará online a partir do dia 18 de novembro) com valor de R$ 100,00 por produto inscrito. Caberá aos inscritos o envio de fotos dos protótipos até o dia 08 de fevereiro, com todos os detalhamentos técnicos dos produtos criados. As empresas classificadas pela curadoria (25 de fevereiro) para a próxima etapa devem então enviar uma peça acabada ao Expoara após o anúncio.

Os critérios de avaliação dos projetos são: 1) a inovação na produção (grau de originalidade e viabilidade de produção); 2) funcionalidade (usabilidade e ergonomia do produto); 3) estética (apelo emocional e ambientação) e 4) sustentabilidade (uso consciente de recursos e atenção às normas ambientais).


Os comentários estão desativados.

eMobile