MostraMóveis segue formato “democrático” como resposta à economia brasileira

Feira repete forte tendência nos últimos anos, com estandes padronizados em 100 m² e focados na apresentação de produtos e realização de negócios

Publicado em 20 de agosto de 2018 | 14:39 |Por: Luis Antônio Hangai

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Chegou ao fim na última sexta-feira (17) a 9ª edição do Congresso Nacional Moveleiro e 1ª edição da MostraMóveis, que ocorreram simultaneamente no polo moveleiro de Arapongas (PR). Cerca de cinco mil pessoas transitaram pelo Expoara Centro de Eventos durante os três dias de encontros, sendo que deste total 700 foram lojistas oriundos principalmente dos estados do Paraná, São Paulo e Santa Catarina. A dobradinha congresso e mostra será repetida em 2019, na mesma cidade, com previsão para o começo de setembro.

Congresso Nacional Moveleiro ressalta tecnologias e os desafios da indústria

A MostraMóveis foi planejada aos moldes de feiras pequenas e compactas que vem se tornando comuns no Brasil nos últimos anos marcados pela recessão econômica. Contou com 60 expositores de móveis vindos de todas as regiões do país, divididos em estandes igualitários de 100 m² cada, sem divisórias. A previsão para o próximo ano é que o número de empresas moveleiras participantes suba para 80.

Segundo a presidente do Expoara, Rosana Belo, a escolha por um formato de feira democrática e de menores proporções é um reflexo da situação econômica do país, que vem dissuadindo o empresariado de investir pesado nos eventos do setor e aumentando a preferência por soluções mais econômicas.

“No momento em que vive o país, as empresas não estão investindo muito em feiras. No caso da MostraMóveis, todas as empresas estão num contexto democrático, de igualdade, onde o que vai se destacar é o produto e o atendimento. Há também um custo bastante acessível, em que está incluso a alimentação. Os expositores precisam apenas chegar e colocar seus móveis, sem grandes despesas com estrutura. Nosso objetivo foi aproximar fornecedores e lojistas para as vendas de final de ano, quando o mercado fica mais aquecido”, destacou Rosana.

José Luis de Oliveira

Área de credenciamento do Congresso Moveleiro e MostraMóveis: cerca de 5 mil pessoas circularam pelos eventos

Opiniões de expositores sobre a 1ª MostraMóveis

Em geral, a avaliação feita pelas indústrias expositoras foi positiva, embora uma parcela tenha detectado algumas limitações e encarado a mostra como uma prévia da Feira de Móveis do Estado do Paraná (Movelpar), a principal feira do polo de Arapongas que ocorre em anos ímpares. Para o presidente da fabricante de móveis Santos Andirá, José Roberto dos Santos (Tim), um evento de pequenas proporções inviabiliza uma melhor exposição da marca:

“Acredito que a feira neste conceito é uma boa solução, mas também não pode ser comparada nunca com a Movelpar, que é um tipo de evento em que podemos trabalhar melhor com a visualidade da nossa marca. Aqui na MostraMóveis você não tem como tratar o ambiente, a iluminação, etc. Você também não consegue atrair um público nacional, formadores de opinião, imprensa, mais designers e arquitetos. Em todo caso, ela cumpre a proposta de ser uma feira focada no comercial”, opinou o empresário.

Já o especialista em marketing da Colibri, Emmanuel Barbosa, aprova o formato “democrático” do projeto piloto da MostraMóveis, identificando que este conceito é uma tendência no Brasil dos últimos quatro anos. “Vejo muitos pontos positivos. A questão dos estandes iguais tira o foco do espaço de exposição e permite a concentração em negócios e produtos. Sou a favor, até por uma questão de viabilidade, pois você pode investir o dinheiro em outros aspectos, como, por exemplo, ajudando a trazer clientes ou patrocinando algum tipo de evento”, avaliou.

Congresso Nacional Moveleiro contou com mais de 30 horas de palestras sobre temas em voga do setor moveleiro

Encerramento e rodadas de negócios

Além da MostraMóveis, o Expoara sediou também o Congresso Nacional Moveleiro, que somou 30 horas de apresentações sobre temas demandados pelo setor moveleiro, com destaque para inovação, tecnologia digital, design contemporâneo e Indústria 4.0. A palestra de encerramento, ministrada pelo o empresário e velejador Amyr Klink, lotou o auditório principal do Expoara (um espaço com 500 assentos) e provocou a indústria moveleira a assumir riscos e manter-se firme na busca por excelência.

Palestras dão foco à inovação no 9º Congresso Nacional Moveleiro

Além da MostraMóveis e do Congresso, foram executadas também rodadas de negócios com o mercado interno e externo. No nacional, organizada pelo Sebrae-PR, 280 rodadas entre compradores e fornecedores ocorreram, com estimativa de geração de R$ 2 milhões em negócios. Com o mercado internacional, fomentado pela Associação Brasileira das Indústrias de Mobiliário (Abimóvel), foram aproximadamente 1,5 mil rodadas entre a indústria nacional e 50 importadores vindos do Chile, Colômbia, Peru, Panamá, México, Estados Unidos, Europa e Emirados Árabes.


Os comentários estão desativados.

eMobile