A importância e como aplicar corretamente as embalagens para móveis

Empacotamento é garantia de preservação do produto e investir neste aspecto é melhorar a performance da marca no mercado

Publicado em 9 de março de 2018 | 11:44 |Por: Luis Antônio Hangai

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Em meio às inúmeras tendências de mercado, a indústria moveleira pode acabar se concentrando no lançamento de produtos cada vez mais competitivos e, nesta corrida por inovação, conferir importância menor a um aspecto decisivo do seu negócio: as embalagens para móveis. Afinal, é precisamente o encaixotamento adequado e bem planejado que protege a mercadoria e permite que ela chegue intacta às casas das pessoas, garantindo assim a satisfação dos consumidores pelas marcas e sua fidelização.

Não é incomum varejistas e fabricantes do setor moveleiro terem de lidar com reclamações de compradores que, ao removerem a mobília do pacote, constatam avarias ou até mesmo perdas totais dos produtos. Existem muitas causas para o problema, mas uma em especial é de senso comum entre empresários do segmento: as dimensões continentais do Brasil e o predomínio do transporte terrestre.

– Confira oito dicas de precificação para o setor moveleiro

“As estradas brasileiras e alguns modelos logísticos obrigam cada vez mais os fabricantes de móveis a investirem em embalagens que protejam seus produtos, visto que desde a saída da indústria até o destino eles passam por vários estágios, colocando em risco a integridade das mercadorias”, afirma o diretor comercial da Bonapel Embalagens, Evandro De Bona.

Trata-se mesmo de uma questão de alerta não só para empresas em particular, mas também para entidades do setor moveleiro. A Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs), cujos associados vendem móveis para o exterior e todo o país, reconhece ser este um tema importante para o segmento. O presidente, Volnei Benini, afirma que uma boa relação estratégica entre fabricantes de mobiliário e produtores de embalagens é essencial para os negócios.

Brasil é considerado um país com dimensões continentais, ou seja, a qualidade da logística terrestre é imprescindível para que os produtos cheguem aos destinos intactos

“O segmento de embalagens para móveis precisa estar constantemente atento às demandas da indústria moveleira, visto que a inovação é uma marca forte das empresas do setor, mas também porque o Brasil é considerado um país com dimensões continentais, ou seja, a qualidade da logística terrestre é imprescindível para que os produtos cheguem aos destinos intactos. Nossos associados produzem materiais se adequando às demandas dos clientes, portanto sempre haverá peculiaridades a serem atendidas, o que exige embalagens de qualidade, seja plástico ou papelão”, comenta o presidente.

Divulgação Bonapel Embalagens

Embalagens para móveis

Exemplo de cantoneira resistente que combina papelão e EPS (isopor)

Boas características de embalagens para móveis

Há indústrias que se preocupam com o cliente e procuram constantemente melhorar a embalagem, ao passo que outras ainda a consideram um custo desnecessário, pois o invólucro é descartado no final. Como modo de economizar, as empresas muitas vezes usam papelões recicláveis. Porém, esse tipo de material não é resistente à umidade do ar. O ideal é que se utilize o plástico filme sobre as embalagens e que se evite folgas (excesso de espaço) no interior das caixas.

A empresa de e-commerce MadeiraMadeira, que pela natureza do seu negócio precisa investir em embalagens para móveis, entende que as embalagens precisam estar no “padrão exportação” pois, caso contrário, a marca jamais performará online.

Alguns setores de compras de indústrias já atentaram para a qualidade dos fornecedores e não só para o preço, sendo que o sucesso de determinado item está ligado diretamente ao padrão de embalagem

“O investimento em embalagem é tão importante quanto aquele feito para criar um produto, ou seja, são necessárias iniciativas como pesquisa com os clientes e estudos de mercado. Alguns setores de compras de indústrias já atentaram para a qualidade dos fornecedores e não só para o preço, sendo que o sucesso de determinado item está ligado diretamente ao padrão de embalagem que chega ao cliente, refletindo também na marca”, diz o gerente de categoria da MadeiraMadeira, Wagner de Lara.

De acordo com De Bona, da Bonapel Embalagens, a indústria moveleira difere de outros setores quanto à preservação de produtos e armazenamento. Existem diferenças entre móveis planejados, linhas populares e linhas médias/altas.

O empresário afirma que proteção nos cantos dos móveis é a característica principal quando se estuda projetos de empacotamento para o setor moveleiro (principalmente para o mercado interno), por isso o papelão duplo e o plástico encolhível são os materiais que auxiliam na preservação do produto. Quando o assunto é mercado externo, as demandas de proteções para os móveis variam de acordo com o país.

“No caso da linha planejada, a utilização do plástico encolhível é característica percebida na grande maioria dos fabricantes. Essa embalagem é acompanhada de cantoneiras de papelão ondulado, plásticas, mistas e de polietileno expandido. Essa forma de embalagem é utilizada em função da versatilidade quanto às inúmeras medidas de volumes produzidos em um dia nas empresas de móveis planejados”, explica De Bona.


Os comentários estão desativados.

eMobile