Vendas no varejo são prejudicadas pela Copa

O encarecimento do crédito, a baixa confiança dos consumidores e a inflação em patamar elevado também contribuíram para o resultado

Publicado em 7 de julho de 2014 | 16:09 |Por: Renata Bossle

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O indicador de vendas a prazo calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) repetiu a baixa verificada nos últimos quatro meses e recuou 06% no mês de junho, em relação ao mesmo período do ano passado.

Na avaliação do presidente da CNDL, Roque Pellizaro Junior, a coincidência do Dia dos Namorados, considerada a terceira melhor data em faturamento para os comerciantes, com o dia de abertura da Copa do Mundo e os feriados decretados em função do torneio afastaram os consumidores das lojas, prejudicando o desempenho das vendas.

Leia mais:
– Varejo tem queda de 3% no movimento de clientes
– Cai intenção de compra para o 3º trimestre
– Mercado de poliéster deve ultrapassar US$ 110 bilhões

“Parcela considerável de trabalhadores foi dispensada pelas empresas no meio da tarde e algumas partidas foram realizadas no sábado, que é considerado um dos dias que mais movimentam o varejo. Além disso, o gasto do consumidor com bens de ticket médio maior, geralmente parcelados, perdeu espaço para produtos temáticos da Copa e em especial, para os alimentos e bebidas, que em geral são pagos a vista”, comenta.

Divulgação SPC

Indicador do SPC

Indicador do SPC

De acordo com a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o encarecimento do crédito, a baixa confiança dos consumidores e a inflação em patamar elevado também contribuíram para o resultado. “Os dados reforçam a tendência de perda de fôlego da atividade econômica. Há queda generalizada entre os principais indicadores de confiança da economia, influenciada pelo aumento dos juros, pela inflação resistente e pelo crescimento moderado da massa salarial”, afirma.

O fraco resultado das vendas a prazo também se repetiu no consolidado do ano. No acumulado do semestre, em relação a 2013, as vendas parceladas acumulam queda de 1,45%. Já na comparação mensal, em geral mais volátil, as vendas cresceram 3,71% sobre o mês de maio.

(com informações da assessoria de imprensa)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile