Vendas no varejo de móveis e eletro se recuperam após paralisação dos caminhoneiros - eMobile

Vendas no varejo de móveis e eletro se recuperam após paralisação dos caminhoneiros

Comércio moveleiro exerceu a maior influência nos resultados do varejo nacional em junho frente a maio de 2018

Publicado em 10 de agosto de 2018 | 14:06 |Por: Luis Antônio Hangai

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Em junho de 2018 o comércio varejista nacional variou -0,3% frente a maio, segundo a Pesquisa Mensal de Comércio do Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Por sua vez, o volume de vendas no varejo de móveis e eletrodomésticos apresentou avanço de 4,6% em relação ao mês imediatamente anterior, recuperando-se da queda de -3,9% em maio, decorrente da greve dos caminhoneiros.

Produção industrial do setor moveleiro avança 28,5%

Houve crescimento em cinco das oito atividades pesquisadas, sendo que as vendas de móveis e eletro foram as que exerceram a maior influência positiva na taxa global, seguida por equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (4,1%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (2,6%), tecidos, vestuário e calçados (1,7%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (0,9%).

O segmento de móveis e eletrodomésticos, com alta de 0,7%, exerceu também o quarto maior impacto positivo na formação da taxa total do comércio varejista na comparação entre junho de 2018 e o mesmo mês de 2017. De acordo com o IBGE, após recuo de 6,8% registrado em maio, o comportamento positivo do setor moveleiro e de eletro mostra recuperação das vendas em junho, após a crise de abastecimento provocada pela greve.

Já o volume do comércio varejista nacional avançou 1,5%, com crescimento em quatro das oito atividades em junho de 2018 frente ao mesmo mês do ano anterior. Por ordem de contribuição na formação da taxa global do varejo, além das vendas no varejo de móveis e eletro, os destaques foram em hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (4,1%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (8,7%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (4,0%).

No primeiro semestre de 2018, entre janeiro e junho, as vendas no varejo de móveis e eletro acumulam taxa de 0,6% ante ao mesmo período do ano anterior. Entretanto, desde o começo do ano este indicador vem apresentando variações menores, denotando desaceleração do comércio de mobiliário e de eletrodomésticos.

No acumulado dos últimos 12 meses, o varejo de móveis e eletro apresentam taxa positiva de 6,8% até junho de 2018, mas este é também o menor resultado do ano dentro desta variável. Após atingir o pico de 10,4% em fevereiro, deu-se inicia a desaceleração do consumo nos meses seguintes.


Os comentários estão desativados.

eMobile