Varejo do setor moveleiro e de eletrodomésticos recua 2,7% em maio, segundo IBGE

Variação negativa no volume de vendas e receita no varejo tem a greve dos caminhoneiros como uma das principais causas

Publicado em 16 de julho de 2018 | 14:14 |Por: Luis Antônio Hangai

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Em maio de 2018, o volume de vendas no varejo do setor moveleiro e de eletrodomésticos variou -2,7% frente a abril, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A queda do segmento foi maior que a registrada pela média global do comércio, cujo recuou ficou em -0,6%. De acordo com o relatório da pesquisa, o resultado foi impactado pela crise de abastecimento do comércio, decorrente da greve dos caminhoneiros, ocasionando atrasos na entrega e irregularidades no preço do frete.

Os impactos da greve dos caminhoneiros no comércio varejista
E-commerce deixou de faturar milhões durante a paralisação

Ao todo seis dos oito ramos comerciais pesquisados apresentaram baixa na passagem de abril para maio. Os recuos mais intensos foram observados em Livros, jornais, revistas e papelarias (-6,7%), Combustíveis e lubrificantes (-6,1%), Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (-4,2%), Tecidos, vestuário e calçados (-3,2%), Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-2,4%), além de Móveis e eletrodomésticos, conforme já informado acima.

O varejo do setor moveleiro e de eletrodomésticos também registrou recuo de 6,1%, frente a maio de 2017, exercendo assim a segunda maior influência negativa sobre a taxa global do varejo, que por sua vez variou positivamente em 2,7%. Esta é a menor taxa negativa em móveis e eletro desde dezembro de 2016 (-8,9%), dentro da comparação maio 2018 versus maio 2017.

No entanto, mesmo com estes resultados negativos, o acumulado do ano no varejo de móveis e eletrodomésticos ficou positivo em 0,7%, mas quase dois pontos percentuais abaixo do registrado em abril (2,6%). O acumulado nos últimos 12 meses ficou em 7,8% e também registrou perda significativa de ritmo em relação a taxa do mês imediatamente anterior (9,6%).

Receita nominal no varejo do setor moveleiro e eletrodomésticos

A receita nominal do varejo do setor moveleiro e de eletrodomésticos variou -3,1% na passagem de abril para maio de 2018, de acordo com a sondagem do IBGE. Este é o menor resultado do ano e também a queda mais acentuada desde outubro de 2017. Já na comparação com maio de 2017, a queda foi ainda maior: -7,7%.

Produção industrial de móveis também recua após paralisação dos caminhoneiros

Com estes resultados, o acumulado da receita nominal no varejo de móveis e eletro fica negativo em maio (-1,3%). Já no acumulado dos últimos 12 meses a taxa permanece positiva (5,1%), mas significativamente inferior ao que foi registrado em abril (6,8%).


Os comentários estão desativados.

eMobile