SPC Brasil: Gastos serão maiores no Natal

Dados da pesquisa encomendada pela entidade revelam aumento de renda e 13º salário estão entre os principais motivos

Publicado em 4 de novembro de 2014 | 15:53 |Por: Frances Baras

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Marcos Santos/USP Imagens

SPC Brasil Compras Natal

Smartphones e aparelhos de telefonia celular são itens em alta para o final de ano. Compras devem ser feitas nos shoppings e na internet

A média dos gastos dos consumidores deve chegar a R$ 122,40 nas compras do Natal de 2014, segundo divulgado pela pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) nesta terça-feira (4). O valor representa crescimento de 20% em relação ao ano passado.

Embora no topo da lista de presentes estejam as roupas (77%), calçados (50%) e os perfumes e cosméticos (45%), o estudo revela aumento da intenção de compra de smartphones, de 12% em 2013 para 20%.

O SPC Brasil indica ainda que 87% dos entrevistados têm a intenção de comprar ao menos um presente, um aumento de 20% em comparação com o ano passado. “Mesmo diante de um cenário adverso para o comércio varejista, os dados comprovam que o Natal exerce forte influência no estímulo ao consumo, principalmente pelo significado da data nas relações sociais e emocionais dos brasileiros”, explicou a economista Marcela Kawauti.

Leia mais:
CNC revisa projeção de vendas para o final do ano
Black Friday 2014 se aproxima
53% dos lojistas devem contratar para o final do ano

Entre aqueles que pretendem gastar mais em 2014, sobressai a intenção de dar um presente melhor ou mais presentes (29%). Outros motivos citados foram o aumento da renda (20%) e o recebimento do 13º salário (16%).

Já entre os que querem diminuir as despesas com presentes de Natal, 35% alegaram estar endividados, 18% disseram estar desempregados e 17% pretendem economizar para outras finalidades.

No total, foram entrevistados 624 consumidores de ambos os sexos e de todas as idades e classes sociais nas 27 capitais brasileiras. A margem de erro é de no máximo 3,7 pontos percentuais para um intervalo de confiança a 95%.

Aquisição de bens duráveis

De acordo com o levantamento do Perfil Econômico do Consumidor (PEC) da Fecomércio RJ/Ipsos, 14,4% dos brasileiros pretendem adquirir bens duráveis nos próximos três meses. Artigos eletrônicos e eletrodomésticos foram os mais citados, por 56,3% e 29,7% respectivamente.

Na análise de cada produto, as maiores demandas deverão ser para a aquisição de televisão (22,0% das intenções), aparelho de telefone celular (17,9%), sofá (10,2%) e máquina de lavar (10,1%).

Os resultados são analisados positivamente pelo gerente de economia da Fecomércio RJ, Christian Travassos. “Ainda que não muito acima da intenção de compra apurada no mesmo mês de 2013, o resultado de agosto deste ano é positivo se considerarmos as quedas registradas na comparação entre maio, junho e julho e os mesmos meses de 2013”, comenta.

“Parte dos consumidores segurou o consumo ao longo do ano – o que se refletiu no percentual decrescente de brasileiros com algum financiamento – e agora começa a ter mais folga no orçamento”, completa.

(com informações das assessorias de imprensa)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile