Smart TV é o principal item de desejo para equipar os lares

Dos 2 mil brasileiros ouvidos em estudo, o equipamento de interesse mais mencionado foi a smart TV, com 23% de citações

Publicado em 19 de outubro de 2016 | 8:42 |Por: Phaenna Assumpção

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A pesquisa “Global Mobile Consumer Survey 2016” apurou o interesse dos consumidores brasileiros em relação aos equipamentos domésticos conectados e apontou: 28% dos consumidores dizem possuir smart TV, um ponto percentual abaixo do apurado no ano passado. Outros 18% tinham acesso a consoles de games, dado abaixo dos 20% de um ano antes.

Foto: Unplash.

Smart TV

Pouca mudança foi registrada no atual levantamento, se comparado ao ano anterior, mesmo assim a smart TV ainda aparece como item mais desejado

Os equipamentos que despertam o maior desejo de compra entre os brasileiros ouvidos na pesquisa de 2016 são: smart TV (com 23% de citações); sistemas de vigilância doméstica eletrônica (14%); smart watchs (relógios inteligentes, 12%); caixas de som sem fio (11%); e aparelhos de streaming de vídeo, consoles de games, e sistemas inteligentes de iluminação doméstica (cada um dos três com 10% das preferências).

Enquanto na comparação internacional relativa ao acesso a smart TVs, o Brasil está bem próximo da média global (27%). Segundo a pesquisa da Deloitte, regionalmente, esses aparelhos estão mais presentes nos lares do Sudeste do Brasil (33%), seguidos por Sul e Centro-Oeste (25%), Nordeste (24%) e Norte (23%).

Por outro lado, a região Norte concentra o maior percentual de pessoas ouvidas no estudo que têm caixas de som sem fio (13%, ante 10% no SE; 9% no NE; 8% no CO; e 3% no S) e consoles de games (22%, ante 21% no SE; 17% no S; 16% no NE; e 15% no CO).

Leia mais
– Brasileiros estão mais atentos ao impacto dos impostos 
– Meios de pagamentos digitais devem crescer 10% no mundo 
– Confiança do comércio aumenta 14,8% na comparação anual 

Já a penetração de aparelhos e equipamentos domésticos ou automotivos conectados (classificados dentro do conceito de IoT – Internet of Things ou internet das coisas) continua baixa no Brasil. Segundo a pesquisa, isso ocorre mesmo entre os chamados “early adopters” (consumidores que compram todas as novidades tecnológicas, assim que elas são lançadas) e os “early considerers” (aqueles que compram novos aparelhos caso de fato gostem deles).

O estudo “Global Mobile Consumer Survey 2016” foi realizado pela Deloitte com 53 mil consumidores, em 31 diferentes países dos cinco continentes. No Brasil, a pesquisa online ouviu 2.005 pessoas de todas as regiões do país, com idades entre 18 e 55 anos.

(com informações da assessoria da Deloitte)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile