Segundo IBGE, vendas no varejo caem 0,9% em maio

De acordo com a pesquisa do IBGE, ‘Móveis e eletrodomésticos’, registrou o maior impacto negativo na formação da taxa do varejo

Publicado em 14 de julho de 2015 | 11:22 |Por: Sandra Solda

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

 

Em maio de 2015, o Comércio Varejista do País registrou variação de -0,9% no volume de vendas, com relação ao mês anterior, ajustada sazonalmente, sendo o quarto mês consecutivo com resultado negativo, de acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada hoje pelo IBGE. Nesta mesma comparação, a variação da receita nominal permaneceu constante (0,0%). Quanto à média móvel trimestral, o volume de vendas registrou variação de -0,8%, enquanto a receita apresentou taxa de -0,2%.

Nas demais comparações, obtidas das séries originais (sem ajuste), o varejo nacional apresentou, em termos de volume de vendas, decréscimo de 4,5% sobre maio do ano anterior, acumulando variações de -2,0% no ano e de -0,5% nos últimos 12 meses. Para os mesmos indicadores, a receita nominal de vendas apresentou variação de 1,9%, 4,1% e de 5,7%, respectivamente.

Sete das dez atividades pesquisadas apresentaram variação negativa
Em maio, sete das dez atividades investigadas na pesquisa registraram resultados negativos para o volume de vendas, na relação mês/mês anterior com ajuste sazonal.

Taxas negativas:
-0,1% em Combustíveis e lubrificantes;
-0,4% em Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos;
-1,1% para Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo;
-2,1% em Livros, jornais, revistas e papelaria;
-2,1% para Móveis e eletrodomésticos;
-3,8% para Material de construção;
-4,6% em Veículos e motos, partes e peças.
Atividades com resultados positivos:
5,5% – Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação;
2,7% – Tecidos, vestuário e calçados;
1,7% – Outros artigos de uso pessoal e doméstico.

Reprodução portal IBGE

A atividade de Móveis e eletrodomésticos, registrou o maior impacto negativo na formação da taxa do varejo

A atividade de Móveis e eletrodomésticos registrou o maior impacto negativo na formação da taxa do varejo

 

Leia mais:
– Qual o tamanho do varejo de móveis brasileiro?
– Varejo acomodado e o ‘afiar do machado’, por Fred Rocha
– Fabricantes de colchões: o varejo sabe vender seu produto?

A atividade de Móveis e eletrodomésticos, com variação de -18,5% no volume de vendas em relação a maio do ano passado, registrou o maior impacto negativo na formação da taxa do varejo. Este desempenho reflete não só à redução da massa de rendimento e o menor ritmo de crescimento do crédito, mas também o fraco desempenho das vendas em comemoração ao Dia das Mães na comparação maio 2015/maio 2014. O efeito base é reforçado devido ao aumento das vendas de televisores motivado pela Copa do Mundo. No acumulado do ano e dos últimos 12 meses, as taxas foram de -10,9% e -6,1%, respectivamente.

(Com informações da assessoria de imprensa)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile