Redes sociais: como melhorar a gestão na empresa

Especialista fala sobre presença das empresas no meio digital, do planejamento à prevenção e de como lidar com as crises

Publicado em 8 de junho de 2015 | 14:01 |Por: Frances Baras

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

 

Divulgação Scup

Redes Sociais - Soraia Lima

Soraia, da Scup: “Se a empresa não tem intenção de se relacionar, não quer conversar com seu público, desenvolver conteúdos e nem monitorar tais redes, talvez essa não seja a melhor maneira de comunicar”

Assim como o número de usuários de internet, cresce a presença das empresas nas redes sociais. E como é uma ferramenta importante de comunicação com os consumidores, é preciso prestar atenção em alguns pontos.

“Diferentes tipos de público estão neste ambiente interagindo, produzindo conteúdo, comentando sobre marcas, produtos, instituições, fatos. Ignorar essa comunicação pode trazer problemas para as empresas, uma vez que as deixa vulneráveis e sem saber o que está acontecendo com elas no ambiente digital”, alerta a community manager da Scup, empresa especializada em monitoramento e gestão de redes sociais, Soraia Lima.

Leia mais:
Ações diferenciadas em redes sociais trazem resultados
Consumidor quer marcas mais conscientes
Sua empresa está na internet? 

Antes de criar as páginas, Soraia ressalta que é fundamental ter um planejamento. Ele vai determinar não apenas as melhores redes sociais para as empresas, levando em consideração o perfil da própria corporação e do seu público, mas toda a estratégia de comunicação e atendimento.

Confira as dicas:

Escolha dos canais

De acordo com Soraia, não há um padrão a ser seguido. A escolha das redes sociais deve estar alinhada ao planejamento de comunicação da empresa e, principalmente, à cultura de cada organização. Ela exemplifica que companhias ligadas à moda devem escolher as que trabalham melhor com imagem, como o Facebook, Instagram e/ou Pinterest. O mesmo funciona para as do setor moveleiro.

Gestão

A especialista lembra que além de abastecer os canais de redes sociais com conteúdo, é preciso fazer a gestão do que é publicado e de como o público responde. Por isso a prioridade e a escolha dos melhores é tão importante. “Não é simplesmente criar um perfil e achar que ele irá se desenvolver sozinho. Deve haver todo um planejamento estratégico por trás para que a empresa seja bem-sucedida”, reforça.

Boas práticas

Embora não haja regras rígidas, porque cada empresa é uma e cada público também é diferente, Soraia aponta alguns cuidados necessários no dia a dia da gestão dos canais de redes sociais, como: não deixar de responder qualquer demanda; deixar claro o horário que se presta o serviço de SAC 2.0; não brigar com os clientes ou usar palavras e expressões de baixo calão; e ter atualização constante.

Prevenção de crises
“Não há como prever uma crise, mas há como se prevenir”, orienta a community manager. Com um bom planejamento, a especialista indica monitoramento constante das redes sociais e acompanhamento das tendências para evitar os problemas.

Consequências do mau uso

Um problema que aconteça neste ambiente alcança grandes proporções. “No ambiente virtual não existem mais fronteiras e um escândalo que ocorre aqui pode ter repercussão mundial de maneira mais rápida que qualquer outro veículo”, alerta Soraia. Assim, a dica é que as empresas aprendam com os erros das outras organizações e estabeleçam regras e condições de uso que fiquem claras para todos os colaboradores.


Os comentários estão desativados.

eMobile