Moveleiras marcam presença no GPW Varejo

Ao todo, seis varejistas relacionadas ao setor de móveis ficaram entre as 24 melhores empresas para se trabalhar no GPW Varejo

Publicado em 12 de dezembro de 2014 | 16:20 |Por: Maria Heloisa de Miranda, equipe de conteúdo

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Divulgação Meu Móvel de Madeira

GPW Varejo

Representante da Meu Móvel de Madeira na premiação em São Paulo

No início de dezembro, a Great Place to Work (GPW) anunciou  o ranking das melhores empresas para se trabalhar no varejo e premiou as 24 primeiras colocadas. Entre as 61 concorrentes, existem seis relacionadas ao comércio de móveis. A pesquisa é baseada nas práticas de gestão de pessoas e avaliada a partir de questionários respondidos pelos próprios colaboradores.

Leia mais:
Varejistas entre as mais valiosas do Brasil
Iemi apresenta estudo sobre canais de varejo
Consumo de móveis cresceu em um ritmo de 7% ano

O primeiro lugar ficou com a Gazin e o segundo com a Maganize Luiza. O setor volta a aparecer na quinta posição, com a Meu Móvel de Madeira, que tem um quadro com mais de 200 mil funcionários e atua no mercado há oito anos, sendo pioneira na venda de móveis sustentáveis.

Dez primeiros colocados:

1º Gazin
2º Magazine Luiza
3º McDonald’s
4º Losango
5º Meu Móvel de Madeira
6º Todimo
7º Ale Combustíveis
8º Mercadinhos São Luiz
9º Dudalina
10º Leroy Merlin

A cerimônia de premiação aconteceu no Hotel Renaissance, em São Paulo, com os representantes das 24 varejistas premiadas no ranking. Na ocasião, o CCO da Meu Móvel de Madeira, Ronald Heinrichs, esteve acompanhado das diretoras Kathlen Heinrichs e Franciane Junctum. A revelação causou surpresa.

Divulgação Meu Móvel de Madeira

GPW Varejo

A premiação surpreendeu a equipe da Meu Móvel de Madeira

“Estar entre os cinco melhores do Brasil é algo que nós não esperávamos em tão pouco tempo. Isso enche ainda mais de orgulho o nosso time, porque, na realidade, são eles que fazem isso acontecer”, afirma Ronald Heinrichs.

Franciane defende que as regras de trabalho e a forma de divisão dentro do escritório são fatores decisivos para essa diferença. “Trabalhamos sem divisórias e sem portas. Todos se conhecem e conversam como iguais. Isso traz confiança para quem participa do time e faz com que trabalhemos não apenas por nós mesmos, mas por todos, como um grande grupo de amigos fazendo o que gostam”, conclui.

(com informações da assessoria de imprensa)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile