Fabricantes dão dicas sobre como valorizar os móveis de tamburato no varejo

Painel semi-oco apresenta maior robustez e resistência ao mesmo tempo que se mantém leve e de fácil movimentação aos lojistas e consumidores

Publicado em 15 de outubro de 2018 | 15:47 |Por: Luis Antônio Hangai

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O varejo moveleiro disponibiliza hoje ao consumidor peças de mobiliário produzidos com diferentes materiais, tais como a madeira maciça, os painéis e o aglomerados. Outra opção que vem sendo comercializada nos últimos anos no Brasil são os móveis de tamburato. Também conhecido como “painel colmeia” ou “painel semi-oco”, o tamburato consiste em uma estrutura interna de papel reciclado revestido externamente com chapas, normalmente de MDF ou MDP.

A técnica é empregada para conferir mais robustez e aparência nobre às peças, possibilitando-lhes espessuras de até 5 cm, uma vez que é o miolo o elemento determinante do volume, e não as chapas. Um dos grandes diferenciais é a alta resistência que emula a madeira maciça combinada à uma surpreendente leveza e facilidade no transporte.

Conheça as diferenças entre MDF e MDP

Os móveis de tamburato se originaram na Itália e o conceito remete à palavra “tambor”. O material é difundido não apenas entre os italianos, mas em diversos países da Europa. No Brasil tem sido utilizado para a confecção de peças de alto padrão, mais robustos e encorpados. Uma das referências entre as fabricantes brasileiras é a Artely, especialista na produção de complementos para sala.

tamburato

“As chapas de tamburato podem ser usadas em qualquer parte do móvel. Por ser um material mais nobre que as chapas normais, esse tipo de matéria-prima se aplica em produtos mais requintados, de maior valor agregado. Não se aplica a produtos populares, pois o custo de produzir este tipo de painel é maior do que simplesmente adquirir chapas no mercado”, explica a gerente comercial da Artely, Elaine Duarte Durante.

Outra empresa especialista na fabricação de móveis de tamburato é a Artany, cujo foco são produtos para escritórios. O diretor comercial da empresa, Valtuir Macedo, explica que este tipo de painel pode ser utilizado em qualquer ambiente interno, em diferentes projetos. Por ser uma peça construída especialmente para cada produto, o tamburato se adapta a diversos estilos de móveis e ambientes.

“É também um produto ecologicamente correto, pois é produzido a partir de chapas de MDF e MDP, que são feitas com madeiras de reflorestamento. O tamburato dá uma aparência de robustez ao móvel, porém é um painel leve, de fácil manuseio, e difícil empenamento”, comenta Macedo.

Dicas para valorizar os móveis de tamburato

Os lojistas podem facilmente valorizar as múltiplas características dos móveis de tamburato para atrair a clientela. A Artely – que inclusive lançou um site específico sobre o tema – apresenta os três principais diferenciais do material que podem ser explorados pelos vendedores do varejo. Confira:

1 – Os móveis de tamburato têm aparência imponente e robusta, mas isto não se reflete no peso do produto: são mais leves do que os produzidos em chapas maciças. Simplesmente colar duas chapas maciças resultará em um painel extremamente pesado, que irá gerar dificuldades internas de produção e também para os lojistas comercializarem, pois o excesso de peso dificulta e encarece o transporte e a entrega dos produtos. Além disso, o consumidor terá mais dificuldades de movimentar um móvel de chapas maciças dentro de sua residência.

 

Divulgação Artely

tamburato

Por serem fechados de todos os lados, os painéis de tamburato são mais resistentes a umidade do ar, quando comparados com MDF e MDP com engrossamento

2 – Existem no mercado alguns móveis “engrossados”, nos quais é feita uma “tira” maciça somente na borda do móvel, ou seja, apenas no local onde o consumidor olha o produto. Porém, ao colocar a mão por baixo do tampo, é possível notar que o painel é mais fino em seu interior. Este tipo de painel engrossado é mais vulnerável à umidade excessiva ou a empenamentos do que o tamburato.

3 – Os móveis de tamburato apresentam grande resistência. Quando usados em tampos ou prateleiras são mais resistentes a empenamento do que os produtos fabricados com chapas normais. Cada peça de tamburato é projetada internamente para que tenha a estrutura perfeita para a montagem e uso a que se destina. Além disso, a Artely usa fitas de PVC de 1 mm de espessura para revestir as bordas de seus painéis de tamburato, que são muito mais resistentes a impactos ou umidade do que painéis de MDF ou MDP revestidos com bordas de papel.


Os comentários estão desativados.

eMobile