Quem é o novo consumidor brasileiro?

A reportagem da Móbile Lojista conversou com economistas, antropólogos, sociólogos, varejistas e fabricantes para decifrar quem é o tão cobiçado consumidor que ascendeu à classe C nos últimos anos

Publicado em 14 de maio de 2014 | 13:55 |Por: Marina Gallucci

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Na última década, o Brasil experimentou, em consequência de anos seguidos de crescimento econômico, uma forte transformação social que se reflete diretamente no poder de consumo de uma parcela da população e na transformação da pirâmide de estratificação social.

Novo consumidorSegundo dados do Data Popular de fevereiro de 2014, atualmente a classe C é composta por cerca de 108 milhões de pessoas que gastaram mais de R$ 1,17 trilhão em 2013 e que movimentaram 58% do crédito no Brasil. Estima-se que mais de 37 milhões de pessoas saíram da pobreza e entraram para a classe média – segundo dados de agosto do ano passado do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Leia mais:
Consumidores querem varejo além do multicanal
Comportamento do consumidor: brasileiro está mais organizado
Transformações no perfil do consumidor exigem nova comunicação

Esse movimento, causado principalmente pelo aumento de renda e do acesso a crédito e a bens de consumo que, anteriormente, eram restritos às classes A e B, tais como planos de saúde, escolas particulares e previdência privada, tornou o que se chama de “nova classe média” ou “novo consumidor” foco de marcas e empresas que enxergam nesse grupo, ávido por consumir, oportunidades de negócios.

Divulgação/Kappesberg

Para a Kappesberg, é essencial levar a esse consumidor produtos que apresentem as inovações que ele busca e exige – que vão desde os diferentes tipos de acabamento como pintura em alto brilho e BP até a escolha dos acessórios ideais para cada módulo

Para a Kappesberg, é essencial levar a esse consumidor produtos que apresentem as inovações que ele busca e exige – que vão desde os diferentes tipos de acabamento como pintura em alto brilho e BP até a escolha dos acessórios ideais para cada módulo

O ministro interino da Secretaria de Assuntos Estatégicos (Sae) da Presidência da República, Marcelo Neri, que também é presidente do Ipea, revelou em entrevista exclusiva à Móbile Lojista (confira na página 108 desse especial) que, entre entre 2003 e 2013, 54 milhões de pessoas subiram de classe: das D e E para a C e da C para as B e A.

O aumento foi muito significativo – de 67 milhões para 121 milhões de pessoas na classe média, de acordo com dados do Ipea. Notando que esse volume de pessoas que ascenderam formaríam o 23º país mais populoso do mundo, “trata-se de uma transformação gigantesca”, diz o ministro.

Confira essa reportagem completa na edição 305 da revista Móbile Lojista.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile