Setor de móveis e decoração tem participação significativa no marketplace nacional

O setor concentra, aproximadamente, 1.795 sellers, o que representa cerca de 60% a mais do que a média dos demais departamentos

Publicado em 26 de junho de 2017 | 8:00 |Por: Érica da Costa Diniz

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O marketplace nacional vem ganhando força nos últimos anos. Calcula-se que, atualmente, os marketplaces (MPs) de maior representatividade recebem cerca de 97 milhões de visitas por dia. Além disso, há mais de 6 mil Sellers (vendedores que comercializam produtos por meio de marketplaces) em atividade. Nesse universo, destaque para o departamento de móveis e decoração, um dos setores que concentram o maior número de Sellers.

Este cenário é uma constatação do estudo “Panorama dos  Marketplaces no Brasil”, criado a partir da parceria entre a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) e a Precificação Inteligente do Brasil (Precifica), com propósito de divulgar dados sobre marketplace no País.

O estudo, que já está na segunda edição, analisa três Marketplaces: Walmart, Lojas Americanas e Extra, no total, são 28 departamentos analisados. De acordo com o estudo, de setembro de 2016 à março deste ano — período monitorado pela pesquisa — houve um crescimento de 20% no número de lojistas que disponibilizam seus produtos nesses mediadores.

Divulgação iStock

marketplace nacional

Empresas devem utilizar MPs para verificar aceitabilidade do produto na internet, aconselha especialista

Em números absolutos, esse valor refere-se a 5.017,em setembro, e 6.230 em março. Segundo o presidente da Abcomm, Mauricio Salvador, o bom resultado se dá pelas facilidades que o marketplace oferece para clientes e empresas.

—  Especialista comenta os prós e contras do Marketplace

Para o consultor da TOTVS, Mauricio Trezub, ingressar no marketplace é uma ótima estratégia para os lojistas testarem a aceitação de seus produtos na internet, antes de investirem em um e-commerce próprio, tanto pela experiência quanto pelo baixo custo inicial. “Depois que ele tiver uma operação sustentável via MPs pode montar o próprio e-commerce, onde não terá que pagar uma comissão aos Mps”, acrescenta Trezub.

Móveis e decoração no markeplace nacional
A participação dos lojistas de móveis e decoração no marketplace nacional é bastante expressiva conforme mostra o relatório. Até o final da pesquisa, março de 2017, o setor concentrava 1.795 sellers, o que representa, aproximadamente, 60% a mais do que a média dos demais setores.

iStock

marketplace nacional

Marketplaces recebem cerca de 97 milhões de acessos por dia

“Com o avanço de tecnologias como realidade virtual e realidade aumentada, logo não fará mais sentido sair de casa para comprar móveis e decoração, o consumidor poderá ‘experimentar’ um sofá de diversas cores usando um óculos de RV ou somente a câmera do celular. Estou plenamente convencido que esta será a única maneira de comprar móveis no futuro próximo”, opina Trezub.

Oportunidade de negócios
Mauricio Trezub comenta que o marketplace é um meio para os pequenos e médios lojistas continuarem competitivos no mercado. “Os lojistas têm dificuldades grandes para manter operações competitivas de e-commerce devido à mão de obra cara e escassa e altíssimo custo de mídia online. Aproveitar o investimento de grandes portais parece ser uma estratégia muito importante!”, explica.

Trezub acrescenta que as fabricantes têm manifestado grande interesse em anunciar nas MPs. “É uma oportunidade muito boa das indústrias se aproximarem digitalmente dos clientes finais e uma possível ameaça para os pequenos e médios no médio prazo”.

Arquivo pessoal

marketplace nacional

Mauricio Trezub salienta que o marketplace é um caminho promissor para a indústria se aproximar do consumidor final, o que representa ameaça a longo prazo para os lojistas

Mauricio Trezub elenca três pontos chave para o lojista que deseja ingressar no MPs

Experimentar: não há nenhum custo envolvido para publicar produtos nos MPs, na grande maioria, eles procuram vendedores com produtos diferenciados, capacidade de entrega rápida e eficiente, e com empresas sólidas (sem pendências financeiras).

Vantagem: colocar seu produto sem custo nenhum na frente de milhões de pessoas que visitam os grandes players de e-commerce todos os meses. A desvantagem é que o relacionamento com o cliente é do Marketplace e não de quem está entregando o produto vendido.

Como vender por MPs: é necessário fazer um contrato com cada um dos MPs (B2W, Cnova, Walmart, Mercado Livre, etc…), criar descritivos atraentes para seus produtos e depois contratar um Hub de integração que consiga publicar seus produtos nos MPs.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile