Madeira maciça: público fixo, porém não exclusivo

Fabricantes apontam que móvel de madeira maciça tem tido melhor aceitação por outras faixas de consumidores em todo o Brasil

Publicado em 30 de julho de 2015 | 19:35 |Por: Thiago Rodrigo Pereira da Silva

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

 

Divulgação Domus

Domus Madeira Maciça

Dormitório da Domus Móveis

O consumidor de madeira maciça é bastante exigente com relação à qualidade do produto, sabem valorizar o trabalho feito com a madeira maciça e estão em busca de um produto durável, robusto, com estruturas melhores, excelente acabamento e design. Ele está atento a vários fatores como procedência do fabricante e de materiais e leva muito em consideração o valor agregado do produto.

Esta é a visão das fabricantes com relação ao público que aprecia o produto feito com matéria-prima bruta. Já com relação ao estilo dos consumidores, as marcas enxergam que casais tradicionais – com a vida estabilizada na faixa dos 35 aos 45 anos – são os principais usuários. Por outro lado, na visão do diretor da Finestra, Flávio Knorst, isso tem mudado, pois o público mais jovem está mudando o conceito de consumo.

“A procura por produtos diferenciados da mesmice das chapas e a abertura das pesquisas advindas da internet, trouxe muitas ideias da Europa e Estados Unidos onde a madeira maciça está em alta há muitos anos. Isso fez com que pessoas com idade entre 25 e 35 anos busquem mais o mobiliário maciço, algo que pode ser verificado no perfil do comprador das lojas e-commerce que adquirem estes produtos e também procuram nas lojas físicas”.

Leia mais:
RG Indústria & Marcenaria no ar
Congresso Moveleiro Nacional em pauta
Curso para Design de Móveis

Por estes dois fatores – exigência da qualidade do produto e solidez do principal nicho consumidor – que o quesito preço não é um fator essencial na venda. É claro que é considerado, porém, a relação custo-benefício é o que mais determina a compra para o usuário que sabe que terá bens mais duráveis e com valor agregado.

Divulgação Finestra

Finestra Madeira Maciça

Sala de estar produzida pela Finestra Móveis

“Lógico que quem compra quer ter o melhor preço, mas aí entra o fator chamado venda técnica. Conhecer o que está vendendo, madeiras e materiais utilizados, prazo de entrega bem como garantia, tudo isso faz o consumidor comprar o produto com maior valor agregado”, aponta o diretor administrativo da Domus Móveis, Vilmar Maas.

E de acordo com o diretor da Nacional Móveis, Ivo Beuther, ele também é relativo por conta das possibilidades do mobiliário. “Podemos trabalhar em uma linha mais alta, com madeiras mais duras, com pequenos detalhes e formas, e também em uma coleção mais econômica com o mesmo tipo de madeira. Depende muito do design, do tipo de construção do produto, formas, acabamentos e qual será o público alvo”, afirma.

Série ‘Móvel de Madeira Maciça’
28/07: Características e design
29/07: Canais de vendas
30/07: Público-alvo
31/07: Mercado interno e externo


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile