Especialistas dão dicas de como abrir loja para venda de móveis

Profissionais do Sebrae e da Lopas dão dicas e alertas sobre como se abrir uma loja para venda de móveis

Publicado em 19 de dezembro de 2017 | 17:20 |Por: Ricardo Heidegger

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Abrir uma loja para venda de móveis pode parecer desafiador de princípio, ainda mais pelo fato do Brasil ainda ter impactos da crise econômica. Contudo, de alguns meses para cá, um dos setores que mostra sinais de recuperação e crescimento é o de mobiliário. Com isso, mais fica claro a boa possibilidade de empreender em um negócio que estará em ascensão por conta da demanda reprimida durante o período de recessão.

Mesmo com a crescente, o setor moveleiro vem se mostrando bastante competitivo justamente por mostrar uma ampla gama de possibilidade para se trabalho e obter um bom lucro. Para se destacar, o empreendedor deve investir em inovação exclusiva para ter seu nome destacado dentro do mobiliário. Mas só isso não basta já que apenas inovar não é o suficiente.

Divulgação Sebrae

Loja para venda de móveis

Uma das dicas de Julio Cesar para atuar no setor, é se atentar à curva ABC

Segundo o consultor do Sebrae-PR e gestor de projeto do polo moveleiro de Arapongas, Julio Cesar, o empresário do varejo precisa seguir alguns passos essenciais para abrir uma loja para venda de móveis. “O primeiro passo é se atentar ao seu público alvo, e depois disso, observar a sua concorrência”, diz.

“Esses dois fatores determinam os preços a serem praticados. Além disso, é bom ter um posicionamento de produto e de atendimento, contribuindo em layout e em canais de distribuição, valorizando a sua venda. É bom citar que os grandes concorrentes nesse mercado são os e-commerces”, acrescenta.

Já o gerente regional de vendas da Lopas,  João Batista, acredita que depende muito do mercado em que um profissional vai atuar. “No que diz respeito ao mobiliário, é importante identificar um público-alvo, sendo esse o primeiro passo. Montar um mix baseado nesse público e montar uma equipe de ponta, que é bem treinada, e os próximos passos que devem ser seguidos por esse profissional”, comenta.

Outro ponto levantado pelo profissional dentro dos passos que um profissional deve seguir para abrir uma loja para venda de móveis, é a competitividade. “Isso é bem complexo, mas uma boa maneira da loja ficar competitiva é ter total controle dos gastos e saber escolher os parceiros para realizar as negociações. Muitas vezes as pessoas acham que ficar competitivo é vender mais barato e isso nem sempre é verdade. Para ele ficar mais competitivo e ter a melhor forma de atrair o cliente, ele precisa ter algum tipo de negociação pontual. Para ser mais competitivo é interessante adquirir produtos que irão agregar um diferencial”, cita o gerente

Mix de produtos da nova loja para vendas de móveis

O próximo detalhe a ser observado na elaboração de um loja para venda de móveis é a definição do mix de produtos que a loja irá exibir ao consumidor. Julio Cesar afirma que o histórico de vendas deve ser observado, se atentando na expectativa do cliente. “O histórico de vendas é importante para estabelecer essa ponte entre os produtos e a expectativa do cliente. É bom citar a Curva ABC nesse processo, pois ela ajuda na elaboração do negócio”, cita.

Divulgação Cipatex

Cipatex e loja para venda de móveis

Os especialistas acreditam que em um loja, o mix de produtos deve ser bastante variado

A Curva ABC citada pelo profissional, recebe este nome em decorrência de uma metodologia que consiste em: Classe A sendo a de maior importância, correspondendo a 20% do total; Classe B com importância, quantidade ou valor intermediário, correspondendo a 30% do total; e de Classe C de menor importância, valor ou quantidade, correspondendo a 50% do total.

Além disso, o consultor do Sebrae afirma que em uma loja, o mix de produtos deve ser bastante variado. “A loja para venda de móveis deve apresentar várias possibilidades, desde ambientes como sala, cozinha, dormitório, sendo esses os carros-chefe do processo. É bom atentar também a variedade de produtos que vão desde racks, estantes, camas e até sofás”, afirma.

Batista, da Lopas, também acredita que a definição do mix de produtos deve ser diferenciado para cada região, buscando realmente conhecer o tipo de mercado e localização que atua. “A loja precisa atender as necessidades do mercado local. Além disso, precisa saber se ali tem gente que vai consumir o seu produto. É um público A, B, C, D ou E? Depende da classificação de público. Por exemplo, se eu for trabalhar com o público x, e sei que o público ali é mais requintado eu consigo montar um mix baseado nessa classe de consumidor. Para que realmente chame atenção desse consumidor”, explica.

– Prêmio Líderes do Brasil 2017 homenageia setor de varejo

Para que esse processo todo ocorra, Batista reafirma que é importante formar uma equipe de ponta que tenham um diferencial. “Têm pessoas que influenciam nas vendas, outras não. Existem vendedores que atraem clientes para a loja e têm os que esperam a loja atrair”, completa.

Comunicação das lojas para vendas de móveis

A comunicação interna e externa é outra condição importante para quem procura abrir uma loja para venda de móveis. Julio Cesar confia na relação direta com o faturamento, sendo ferramenta fundamental para o bom faturamento da empresa. “Enriquecendo a comunicação interna, conseguimos formar e qualificar uma equipe, além de atualizar os profissionais sobre as novidades e o alinhamento de processos. Toda a empresa precisa estar incluída nisso, não apenas os fornecedores”, comenta.

Divulgação Portal eMóbile

Loja para venda de móveis

Canais de comunicação como Facebook e Instagram, devem ser utilizados e considerado essenciais segundo Batista

O profissional afirma que esse processo é fundamental não só para uma loja para venda de móveis, e sim para qualquer tipo de negócio. “Planejar muito bem a criação de um novo negócio é essencial, somente o planejamento irá minimizar os riscos do negócio. Como o varejo ainda é muito novo, outros canais de comercialização e de comunicação como Facebook e Instagram, devem ser utilizados como canais diretos para alcançar o seu público alvo”, destaca Julio Cesar.

Já o gerente da Lopas acredita que o profissional da loja de móveis deve encantar os seus clientes. “O atendimento começa a fazer parte desse encantamento. É a porta principal junto com a abordagem, a recepção do seu cliente. Muitas vezes o cliente compra uma TV, por exemplo, e às vezes o funcionário quando já tem experiência ele consegue agregar a venda, por meio de home, rack, estantes, essa é a importância de ter alguém com experiência”, menciona.

Outras dicas da loja para vendas de móveis

Para a empresa, uma das principais dicas para o empreendedor que deseja abrir sua própria loja para venda de móveis é se atentar ao produto que definirá o seu público. “É importante pensar em um gestão financeira, e seu planejamento, o que se torna o seu principal fornecedor é a indústria. O profissional precisa também ter um planejamento financeiro, pensando em aspectos do ponto de venda, além da fixação da marca e uma equipe de vendas sem preparada para demonstrar o produto”, diz Julio Cesar.

– Ebit estima vendas de R$ 8,7 bi no e-commerce para o Natal

O consultor de vendas do Sebrae também cita a equipe de vendas digital e físico como de suma importância no trabalho que deve ser feito permanentemente a cada novidade que aparecer. “Precisamos conhecer o perfil do consumidor, de onde ele vem, e que expectativa ele tem por meio desses canais. As ferramentas muito efetivas para esse empreendedor são os núcleos do Sebrae, Senai, Senac, além da própria internet. Por fim, o varejista pode levar as necessidades do consumidor para as indústrias, para que assim se tornem mais competitivas no setor”, finaliza.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile