Inflação de móveis diminui em julho, aponta IBGE

Com alta de 0,15%, IPCA 15 de mobiliário desacelera 0,69 ponto percentual em comparação à taxa de junho (0,84%)

Publicado em 25 de julho de 2018 | 11:25 |Por: Luis Antônio Hangai

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A taxa global do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA 15) variou 0,64% em julho deste ano, ao passo que o IPCA 15 de móveis ficou abaixo da média, com alta de apenas 0,15%. Este resultado aponta para uma desaceleração da inflação no consumo do setor moveleiro, que apresentou uma redução de 0,69 ponto percentual em relação a junho (0,84%). Dentre os itens da categoria de mobiliário, o único que registrou deflação foi o segmento de colchões, com -0,15%, enquanto que a taxa mais alta veio de móveis infantis (0,62%), ambos contrariando a trajetória que vinham traçando até agora.

Outros indicadores recentes do IBGE
Produção de mobiliário cai 12,7% em maio
Varejo do setor moveleiro e de eletrodomésticos recua 2,7% em maio
Exportação de móveis do Brasil acumula alta de 9,8% em maio

Quanto às regiões metropolitanas pesquisadas, o grupo de mobiliário teve deflação em Salvador (BA), São Paulo (SP), Porto Alegre (RS), com destaque para Goiânia, cuja redução do índice foi de -1,17%. As demais cidades sondadas apresentaram alta no índice produzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com pico em Brasília (1,36%).

IPCA 15 de móveis

A variação acumulada no ano (de janeiro a julho) no IPCA 15 de móveis nacional ficou em 0,85%, situando-se bem abaixo do índice global (3%). Os colchões são os itens com a maior taxa acumulada de inflação (2,14%) dentro do grupo de móveis. Já os móveis infantis são os únicos que apresentam deflação (-2,7%). As regiões metropolitanas de Fortaleza (CE) e São Paulo foram as únicas a apresentarem indicadores negativos nesta variável, respectivamente -0,14% e -1,97%.

IPCA 15 de móveis

Nos últimos 12 meses os preços de mobiliário acumulam alta de 0,97%, ficando bem abaixo da média global de 4,53%. A alta é puxada sobretudo pelos itens de colchões (6,4%) e de móveis para quartos (2,33%), uma vez que os demais tipos de produtos registraram taxas negativa. Dentre os locais pesquisados, apenas Belém (PA), Rio de Janeiro (RJ) e Brasília (DF) apresentaram deflação, com destaque para este último (-3,8%).

IPCA 15 de móveis

Sobre o IPCA 15 de móveis

Para o cálculo do IPCA 15 de móveis e de todas as demais mercadorias, os preços foram coletados no período de 14 de junho a 12 de julho de 2018 (referência) e comparados com aqueles vigentes de 16 de maio a 13 de junho de 2018 (base).

O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia. A metodologia utilizada é a mesma do IPCA. A diferença está no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica.


Os comentários estão desativados.

eMobile