Intenção de Consumo segue em queda

Com novos dados, a previsão da CNC é que o volume de vendas do varejo obtenha um crescimento ao redor de 0,3% em 2015

Publicado em 22 de abril de 2015 | 14:17 |Por: Marina Gallucci

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Paulo Pinto/ Fotos Públicas

Norte e Nordeste são as regiões mais otimistas em relação à perspectiva de consumo

Norte e Nordeste são as regiões mais otimistas em relação à perspectiva de consumo

Pelo terceiro mês consecutivo, a Intenção de Consumo das Famílias (ICF), apurada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), atingiu o menor nível da série histórica, iniciada em janeiro de 2010. O índice registrou quedas de 6,9% na comparação com o mês passado e 17,8% em relação a abril de 2014. O indicador está em 102,9 pontos.

Dos sete quesitos pesquisados, três estão na zona negativa, abaixo dos 100 pontos: Nível de Consumo Atual, Perspectiva de Consumo e Momento para Duráveis. Este último registrou 78,9 pontos e foi o que apresentou as maiores quedas, tanto no comparativo mensal, de 14,3%, quanto no anual, de 32,5%. “A taxa de juros para o consumidor está num patamar bastante elevado, e a maior parte das famílias, 56,1%, consideram o momento atual desfavorável para aquisição de bens duráveis”, afirma a assessora econômica da CNC, Juliana Serapio.

Leia mais:
Varejo perde participação no PIB
Intenção de consumo sugere cautela
Vendas do varejo crescem 3,9% em 2014

Por corte de renda, as famílias com renda até dez salários mínimos registraram queda de 14,1% no quesito Momento para Duráveis na comparação mensal, e as com renda acima de dez salários mínimos apresentaram também queda de 14,4%. Regionalmente, esse indicador variou de 98,6 pontos (Sul) a 68,3 pontos (Sudeste).

As famílias mostraram piora nas perspectivas em relação ao mercado de trabalho na comparação mensal, com queda de 5,9%. Em relação ao mesmo período do ano passado o componente registrou recuo de 9,8%. A maior parte das famílias (53,7%) ainda considera positivo o cenário para os próximos seis meses. No entanto, esse indicador vem caindo a cada mês. O índice ficou em 115,1, registrando um nível ainda favorável de satisfação (acima de 100 pontos).

O item Perspectiva de Consumo registrou queda de 9% em relação a março. Na comparação anual, o índice apresentou queda de 28,1%, com 95,3 pontos. Na base de comparação mensal, as famílias com renda até dez salários mínimos mostraram queda de 8%, e aquelas com renda acima de dez salários, queda de 14,5%. As regiões Nordeste (127,6 pontos) e Norte (131,4 pontos) lideram o ranking regional de otimismo em relação ao consumo.

(com informações da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile