Intenção de consumo e orçamento familiar seguem estáveis 

Pesquisa da Fecomércio RJ/Ipsos mostra ainda que consumidores preferem cada vez mais o cartão de crédito na hora das compras

Publicado em 23 de maio de 2016 | 12:14 |Por: Cleide de Paula

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

 

A intenção de consumo de produtos duráveis em fevereiro foi de 17%, segundo a pesquisa Perfil Econômico do Consumidor da Fecomércio RJ/Ipsos. O percentual manteve-se estável em relação ao mesmo período do ano passado, quando ficou em 16%, mesma parcela da média histórica para o mês. Os produtos que registraram a maior pretensão de compra foram Artigos Eletrônicos (45%) e Eletrodomésticos (43%). Em relação ao mesmo período do ano anterior, as maiores altas foram nos itens Móveis de Cozinha e Moto, com crescimentos de 6 e 5 pontos percentuais, respectivamente.

intencao-compra-produto-duravel
Em fevereiro deste ano, 40% dos brasileiros pagavam algum tipo de financiamento, alta de 4 p.p. em relação a fevereiro de 2015. O cartão de crédito como opção de parcelamento atingiu o maior nível da série histórica (54%), iniciada em 2009. Em seguida, aparece o carnê, opção de 43% dos consumidores com algum tipo de financiamento. Vestuário (29%) e eletrodomésticos (23%) foram os grupos mais parcelados no período.

Assim como a intenção de consumo, o orçamento das famílias também permanece equilibrado. Em fevereiro, 58% das famílias cobririam exatamente as despesas necessárias, sem sobras – maior percentual da série para um mês de fevereiro. Para 26%, haveria sobra no orçamento após o pagamento das despesas e, para 16%, o orçamento não seria suficiente para o pagamento das despesas mensais. Entre os que informaram ter sobras, o principal destino do excedente seria poupar (66%).

orcamento-familiar

A pesquisa foi realizada entre os dias 13 e 28 de fevereiro, com 1200 consumidores de 72 municípios do país.


Os comentários estão desativados.

eMobile