Índice Antecedente de Vendas projeta crescimento

Para os bens duráveis, as projeções de crescimento registradas são de 3,1% em outubro, 2,5% em novembro e 2,7% em dezembro

Publicado em 21 de outubro de 2014 | 13:58 |Por: Marina Werneck de Capistrano

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O IAV-IDV, Índice Antecedente de Vendas, projeta crescimento para outubro e os dois próximos meses de 1,3%, 2,5% e 2,7%, respectivamente, em comparação com os mesmos períodos do ano anterior, após uma desaceleração de 0,2% em setembro.

De acordo com o estudo, realizado mensalmente pelos associados do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV) e divulgado 30 dias antes da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), do IBGE, para os bens duráveis, as projeções de crescimento são de 3,1% em outubro, 2,5% em novembro e 2,7% em dezembro. As projeções são em comparação ao mesmo período do ano passado.

Leia mais:
IDV acredita em crescimento de até 3,1%
53% dos lojistas devem contratar para o fim do ano
Intenção de Consumo das Famílias apresenta queda

“Os primeiros nove meses de 2014 apresentaram indicadores superiores aos de 2013, com média de crescimento do IAV-IDV de 3,6% contra média de 3,1% no ano passado. Entretanto, a desaceleração do IAV-IDV e da PMC, do IBGE, nos últimos três meses, sinaliza um potencial cenário desafiador para os últimos meses do ano. Apesar disso, espera-se que o varejo continue crescendo acima do PIB nacional, alavancado, assim, esse indicador”, analisa o presidente do IDV, Flávio Rocha.

O alinhamento do IAV-IDV com a PMC foi muito forte nos oito primeiros meses de 2014, antecipando a tendência do índice do IBGE, com média de crescimento do IAV-IDV de 4,1% contra média 3,0% da PMC, com o maior descolamento detectado em junho. O cenário macroeconômico mantém-se com algumas barreiras relevantes para o crescimento do varejo, como a alta inflação, que continua minando o poder de consumo, a baixa confiança dos consumidores, o maior rigor na análise e concessão do crédito e a desaceleração do crescimento da renda.

(com informações do IDV)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile