IDV aposta em retomada do crescimento varejista

De acordo com o IAV-IDV, após desaceleração em julho, projeções de crescimento para agosto, setembro e outubro são de 3,1%, 2,8% e 3,1%, respectivamente

Publicado em 19 de agosto de 2014 | 15:05 |Por: Marina Werneck de Capistrano

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Divulgação

Loja do Magazine Luiza

Magazine Luiza é uma das associadas ao IDV

Após uma queda no realizado das vendas de 0,7% em julho, em comparação com o mesmo mês do ano anterior, a expectativa dos associados do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV) para este e os próximos dois meses é de um crescimento de 3,1% em agosto, 2,8% em setembro e 3,1% em outubro, sempre em relação aos mesmos períodos de 2013. Esta foi a constatação do Índice Antecedente de Vendas (IAV), estudo realizado mensalmente pelos associados do IDV, divulgado 30 dias antes da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), do IBGE.

Em junho o IAV-IDV apresentou crescimento de 4,4%, enquanto a PMC apontou 0,8% na comparação anual. Nos últimos 16 meses, o IAV-IDV demonstrou forte aderência com o indicador do IBGE, mas em junho houve um descolamento dos índices, sinalizando que o mercado sofreu a desaceleração antes dos associados do IDV.

Leia mais:
Vendas no varejo recuam 0,7% segundo IBGE
Comércio eletrônico cresce 26% no 1º semestre
Móvel Show 2016: 80% da área está comercializada

No varejo de bens duráveis, os associados divulgaram crescimento de 1,2% em julho, em relação ao mesmo mês do ano anterior. Para os meses seguintes, a expectativa de crescimento é de 1,9% em agosto, 1,1% em setembro e 0,9% em outubro.

De acordo com o presidente do IDV, Flávio Rocha, os primeiros sete meses de 2014 apresentaram indicadores expressivamente superiores aos de 2013, com média de crescimento do IAV-IDV de 4,6% contra 2,3% no ano passado, mas em virtude do cenário macroeconômico, o mercado espera a manutenção ou leve redução nesse ritmo de crescimento, porém, ainda apresentando crescimento do varejo bastante superior ao PIB nacional.

“O alinhamento do IAV-IDV com a PMC foi muito forte no primeiro semestre de 2014, com média de crescimento do IAV-IDV de 5,3% contra 4,3% da PMC, com descolamento em junho”, afirma Rocha. Ele analisa: “O cenário macroeconômico se mantém, com alta da inflação, que mesmo com a desaceleração de julho, continua minando o poder de consumo e a confiança do consumidor; baixa confiança dos consumidores e maior rigor na concessão do crédito. Por outro lado, há aspectos positivos fortes, como a estabilização do endividamento das famílias e baixos índices de inadimplência e de desocupação”.

(com informações da assessoria de imprensa)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile