Expectativa do consumidor segue pessimista

Avaliações negativas com relação à situação financeira e endividamento limitam intenções de consumo para os próximos meses

Publicado em 1 de junho de 2015 | 22:36 |Por: Marina Gallucci

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

 

Reprodução INEC/CNI

Segundo a CNI, as expectativas pessimistas e avaliações negativas com relação a situação financeira e endividamento limitam as intenções de consumo para os próximos seis meses

As expectativas pessimistas e avaliações negativas com relação a situação financeira e endividamento limitam as intenções de consumo nos próximos seis meses

Embora as perspectivas em relação à inflação e ao desemprego tenham melhorado, no geral, os brasileiros continuam com baixa expectativa para 2015. Contudo, é devido a essa pequena melhora que o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC) ficou praticamente estável em maio: um recuo de 0,3 pontos em relação a abril, fechando em 98,7 pontos.

Pequena variação
Para entender melhor a estabilidade, é preciso perceber que componentes do INEC mostram comportamentos contrários. Os índices de expectativa de inflação e de desemprego mostram variações positivas entre abril e maio. E, embora permaneçam elevados, os percentuais de entrevistados que acreditam no aumento dessas variantes reduziram.

Leia mais:
– Confiança do consumidor mundial retrai
– Aumento da inflação deixa consumidor pessimista
– Entrevista: Hábitos do novo consumidor brasileiro

O índice de expectativa de evolução da própria renda também mostrou variação positiva, ainda que menor (0,7%). Já a evolução do endividamento também é mais favorável, de forma que o índice de endividamento aumenta 1,9%.

Por outro lado, a avaliação da situação financeira é negativa e as expectativas de compras de bens de maior valor estão mais pessimistas, refletindo em quedas nesses índices e, consequentemente, no INEC.

Reprodução INEC/CNI

Quanto maior o índice, maior o percentual de respostas positivas, ou seja, maior o percentual de respondentes esperando queda na inflação ou desemprego, esperando aumento da renda pessoal, esperando aumentar as compras de bens de maior valor, com melhor situação financeira ou menos endividado

Quanto maior o índice, maior o percentual de respostas positivas, ou seja, maior o
percentual de respondentes esperando queda na inflação ou desemprego, esperando aumento da renda pessoal, esperando aumentar as compras de bens de maior valor, com melhor situação financeira ou menos endividado

 

O INEC – divulgado mensalmente pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) a partir de pesquisa de opinião pública de abrangência nacional conduzida pelo IBOPE Inteligência – vem mantendo seu resultado no menor valor desde junho de 2001. Confira aqui o relatório da pesquisa.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile