Empresas com propósito são bem vistas por consumidores

Empresas com propósito são bem vistas por consumidores

Clientes se dispõem a pagar até 10% a mais quando valores são revertidos para causas

Publicado em 22 de agosto de 2017 | 10:01 |Por: Érica da Costa Diniz

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Além das mudanças que impactam o varejo moveleiro, devido à convergência das informações e o modo de compra, as companhias também precisam reavaliar o que oferecem para seus clientes. Afinal, hoje em dia, os consumidores priorizam empresas com propósito além do lucro, como contrapartidas sociais, ambientais, saúde e de educação.

“As marcas precisam ter uma postura diferente da apresentada até hoje. A empresa com propósito ajuda a mostrar qual é a diferença que o seu negócio está fazendo no mundo, essa é uma ação que envolve toda a empresa, todos os stakeholders, e isso está sendo bastante valorizado pelos consumidores hoje”, pontua o sócio-diretor da GS&Consult Alexandre Van Beeck.

Divulgação

Empresas com propósito - Alexandre Van Beeck - Divulgação

Sócio-diretor da GS&Consult Alexandre Van Beeck

Essa tendência de contrapartidas que visem o bem-estar da comunidade foi comprovada por meio do estudo “Meaningful brands 2017” realizado pelo Havas Group em 33 países, com 300 mil entrevistas e 1,5 mil marcas. O levantamento mostrou que 80% dos brasileiros não sentiriam nenhuma falta caso algumas marcas saíssem do mercado.

De acordo com a pesquisa, 79% dos consumidores brasileiros preferem comprar de empresas com propósito que vão além do lucro. Além disso, 86% acreditam que as  marcas devem desempenhar um papel na melhoria de sua qualidade de vida e bem-estar e 85% consideram que as empresas e marcas devem estar ativamente envolvidas em solucionar problemas sociais e ambientais.

No estudo 75% dos entrevistados confiam em empresas e marcas que são social e ambientalmente responsáveis (57% confiam em empresas e marcas em geral); e somente 37% consideram que empresas e marcas se comunicam honestamente sobre compromissos e promessas.

Preço e proposta
Para Van Beeck, “as empresas estão se equiparando na questão de oferta de produto e preço, e o consumidor consegue comparar isso rapidamente via consulta digital, e, a partir dessa comparação, mais do que um produto com um preço bom, vem o propósito da empresa, o que ela faz, se ela é transparente, tudo o que as pessoas estão procurando em uma relação que não é apenas de compra”, ressalta.

Conheça outras tendências para o varejo de móveis 

O estudo “Em boa companhia: O Valor do Consumidor Consciente”, realizado pela Union + Webster International a pedido da empresa de software Zendesk, mostra que das 7.010 mil pessoas entrevistadas em sete países, a grande maioria está disposta a pagar de 5% a 10% a mais apenas para contribuir com as empresas com propósito e estimular as outras companhias.

Em âmbito global, 75% esperam que as marcas contribuam mais para nosso bem-estar e qualidade de vida, mas apenas 40% deles acreditam que elas estão realmente fazendo isso. O estudo também mostra que a maioria das pessoas não se importaria se 74% das marcas desaparecessem.

Divulgação Lojas MM

empresas com propósito - Consumidor quer marcas conscientesConsumidor quer marcas conscientes

Crianças aprendem também no contraturno escolar em projeto da varejista paranaense Lojas MM para as comunidades

Cases com propósito
O consultor usa como exemplo, de empresas com propósito, a grife carioca de roupas Reserva, que doa um prato de comida para cada prato vendido.

“Quando você compra um produto lá, na nota fiscal vem detalhado tudo o que está incluído naquele lucro que eles estão tendo, ao pagamento de impostos, é uma relação bem transparente do que eles estão tendo com o consumidor”, detalha o consultor.

De exemplo internacional, Van Beeck cita a empresa Toms shoes “Tomorrow Shoes”, que surgiu com a proposta de doar um calçado para crianças carentes, para cada sapato vendido.

“Cada vez mais as empresas estão se preocupando com os propósitos e outro ponto importantíssimo também são as pessoas, nenhum propósito fica em pé se não forem as pessoas abraçarem as causas. Esses são os dois pontos principais no varejo moderno, juntamente com a tecnologia”, finaliza Van Beeck.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile