Economia: 2014 retoma crescimento no varejo

Para entidades, o varejo deve registrar expansão acima do crescimento médio da economia, favorecido pelo aquecimento do mercado de trabalho e inflação controlada

Publicado em 15 de abril de 2014 | 9:09 |Por: Marina Gallucci

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Antonio Cruz/ABr

Varejo espera crescimento em 2014

O ano de 2014 deve apresentar uma retomada no crescimento do varejo

Os indicadores disponíveis até o momento e as análises de entidades de classe que representam os empresários do varejo brasileiro apontam para um 2014 melhor que 2013, no que se refere às vendas do comércio. Apesar do cenário de juros altos, os quais encarecem o crédito, de crescimento ínfimo do Produto Interno Bruto (PIB) e da atividade industrial, fatores como o mercado de trabalho aquecido e a inflação sob controle devem favorecer os lojistas.

A Confederação Nacional do Comércio (CNC), por exemplo, estima que neste ano o setor registre um incremento de 6% a 6,5% nas vendas, superando o desempenho de 2013. Até o fechamento desta edição, ainda de todo o ano passado, mas as estimativas da CNC apontavam para um acréscimo de 4,5% a 4,7%, informou à Móbile Lojista o economista da entidade, Fábio Bentes.

Leia mais:
– BNDES e Sebrae promovem seminários sobre financiamentos
– Redes varejistas recebem processo por garantia estendida
– Comunicação com o consumidor é essencial

O economista lembra que entre 2004 e 2012 o varejo brasileiro acumulou expansão média de 7,9% ao ano nas vendas (descontada, inclusive, a inflação), com destaque para 2012, “quando o crescimento foi excelente, de 8,4%, puxado sobretudo pelo segmento de móveis e eletrodomésticos”. O desempenho de 2013, portanto, ficou abaixo da média dos oito anos anteriores.

Há, porém, pelos menos duas ressalvas. Uma, a de que a base de comparação se deu sobre um exercício (o de 2012) de grande acréscimo; outra, a de que o ano passado foi marcado pela alta dos juros e da cotação do dólar. “O varejo não chegou a ficar imune a problemas conjunturais da economia, mas, mesmo assim, foi a atividade que mais se destacou [em 2013], inclusive mais que a agropecuária”, observa Bentes.

Confira essa reportagem completa na edição 304 da revista Móbile Lojista.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile