Cuidados ao vender móveis infantis - eMobile

Cuidados ao vender móveis infantis

A argumentação exige maior cautela da equipe de vendas, bem como ambientação da loja

Publicado em 14 de agosto de 2015 | 13:30 |Por: Júlia Magalhães

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Alguns cuidados são necessários na hora de vender móveis infantis. A edição 319 da Móbile Lojista apresentou o Especial Móbile Baby & Kids, que contou com matéria completa sobre o assunto.

As peças que compõem o quarto precisam ser pensadas de acordo com seus acabamentos, boa fixação de acessórios, tintas atóxicas e quinas arredondadas. “É preciso levar em consideração que a criança pula, bate os brinquedos ao se desenvolver. Se o móvel tiver vidro, por exemplo, que seja fora do alcance dos pequenos ou bem resistente”, aconselha a gerente da Lojas MM, de Curitiba (PR), Geovaní Aparecida Paini.

Júlia Magalhães/Revista Móbile

Móveis infantis

Peças que compõem a decoração e para cuidados com o bebê podem ser complementos de venda

É fundamental que o vendedor tenha conhecimento do produto. “Às vezes os pais não tem noção deste universo, porque ainda não faz parte do mundo deles. Então, é o vendedor irá inseri-los neste contexto.” Embora a gerente reconheça que há diferença na venda de móveis infantis aos de adulto, relembra que, nos dois casos o profissional precisa buscar informações para conhecer o cliente. “Perguntar sobre a estrutura familiar mesmo em uma venda que não seja a de produtos infantis é necessário, pois há móveis que não são aconselhados em uma casa com crianças. O vendedor deve auxiliar o consumidor a fazer a melhor escolha.”

Leia mais
Conhecimento é sinônimo de argumento de venda
Argumento de venda: postura é determinante
Varejistas explicam como ter argumento de venda

Júlia Magalhães/Revista Móbile

Móveis infantis

A loja deve estar preparada para receber mães com filhos pequenos

Cuidado redobrado
A loja deve estar adequada ao público-alvo e, ainda, preparada para receber pais com filhos pequenos. “A criança pode ser agitada, se pendurar e correr. Temos que nos antecipar a possíveis acidentes para que eles não aconteçam”, esclarece a gerente da Lojas MM. Segundo ela, todo cuidado deve ser tomado sempre pensando no bem estar da criança.

Dar atenção à criança e ter um preparo psicológico para lidar com a situação pode ser a diferença na venda, corrobora a proprietária da Pirulito Store, Josilene Ofridia. “Com isso, a criança se acalma e passa a interagir, deixando o possível ciúme de lado. Deve-se ter jogo de cintura.”

Para ter acesso a matéria completa, baixe o aplicativo para dispositivos móveis da Revista Móbile – disponível para Android e iOS. Assinaturas podem ser solicitadas pelo 0800-9791981.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile