Confiança do consumidor recua em junho e chega a 82,3 pontos

Em maio, o Índice de Confiança do Consumidor da Fundação Getúlio Vargas era de 84,2 pontos

Publicado em 26 de junho de 2017 | 13:55 |Por: Pedro Luiz de Almeida

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Após a alta no mês de maio, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), divulgado hoje (26), sofreu recuou de 1,9 ponto no mês de junho e chegou a 82,3 pontos. Em junho, tanto as percepções em relação à situação atual quanto as expectativas apresentaram resultados inferiores ao mês anterior.

iStock

confiança do consumidor

A edição de junho de 2017 coletou informações de 1929 domicílios entre os dias 1 e 21 de junho

O Índice da Situação Atual (ISA) registrou sua terceira queda consecutiva, ao passar de 70,5 para 70,1 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE), que havia se recuperado em maio, recuou 2,9 pontos, para 91,7 pontos.

Confira o desempenho do mercado de móveis

O indicador que mede as perspectivas em relação à situação financeira das famílias foi o que mais influenciou na queda do ICC em junho, ao cair 5,6 pontos em relação ao mês anterior, para 89,9 pontos.

A piora das expectativas sobre a economia, em razão da instabilidade política e dificuldade de recuperação do mercado de trabalho, são fatores que contribuem negativamente na hora dos consumidores pensarem em sua situação financeira familiar.

iStock

confiança do consumidor

Em junho, tanto as percepções em relação à situação atual quanto as expectativas apresentaram resultados inferiores ao mês anterior

Cenário que faz com que as expectativas sobre as finanças familiares e o consumo de bens duráveis tenham se apresentado muito instáveis nos últimos meses. A queda no quesito que mede o ímpeto por compras de bens duráveis foi menos intensa. O indicador recuou 0,9 ponto em junho, para 77,6 pontos.

Movergs comenta desempenho do setor moveleiro

Houve queda da confiança do consumidor em todas as faixas de renda, exceto para famílias com renda mensal entre R$ 2.100,01 e R$ 4.800,00. Após atingirem o mínimo da série de satisfação em relação às suas finanças no mês anterior, estas famílias se demostraram mais otimistas neste mês, o que evitou uma queda maior do ICC.

As famílias com renda mensal entre R$ 4.800,01 e R$ 9.600,00 apresentam o terceiro mês de queda consecutivo, com a confiança atingindo 83,6 pontos.

(Com informações do release oficial da Fundação Getúlio Vargas)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile