Brasileiros vão às compras na última hora

Pesquisa revela que 19,6 milhões de consumidores devem ir às compras na semana que antecede a data

Publicado em 18 de dezembro de 2015 | 12:24 |Por: Júlia Magalhães

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

 

Júlia Magalhães/Revista Móbile

Compras

A pesquisa também mostra que apenas 4,3% dos entrevistados vão adiar as compras natalinas, preferindo aproveitar as liquidações de início de ano

Um levantamento realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) revela que 19,6 milhões de pessoas pretendem comprar os presentes apenas uma semana antes do Natal (considerada a data de maior movimentação do varejo). O número corresponde a 14,3% de consumidores que têm a intenção de presentear alguém neste fim de ano. A pesquisa também mostra que apenas 4,3% dos entrevistados vão adiar as compras natalinas, preferindo aproveitar as liquidações de início de ano.

No entanto, segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, deixar as compras natalinas para a última hora não é uma escolha acertada para quem pretende economizar com esse tipo de gasto, principalmente, em tempos de crise como o atual. “Muitos deixam para comprar os presentes nesta semana por causa do recebimento da segunda parcela do 13º salário. Mas, acaba não tendo tempo para pesquisar preços e, consequentemente, gasta mais. Sem mencionar o risco dele não encontrar o produto desejado e ter que optar por algo mais caro, comprometendo o orçamento”, explica a economista.

E o educador financeiro do portal ‘Meu Bolso Feliz’, José Vignoli, corrobora que este hábito faz com que o consumidor acabe dando menos importância aos detalhes e ceda às compras impulsivas.

Leia mais:
Conhecimento é sinônimo de argumento de venda
Argumento de venda: postura é determinante
Varejistas explicam como ter argumento de venda

Conjuntura
Neste ano, por causa da crise econômica e do aumento do desemprego, o gasto médio do presente de Natal diminuiu de R$ 125,22 (em 2014) para R$ 106,94 – o que representa uma queda de 22% já descontada a inflação acumulada no período. Ainda assim, mais da metade (53,2%) dos entrevistados disseram ter a expectativa de ganhar presentes neste Natal.

A pesquisa mostra ainda que os brasileiros (63%) também têm intenção de comprar algo para si mesmo. Entre as principais razões, estão o sentimento de merecimento (50,5%) e a oportunidade de comprarem algo que estão precisando (37,3%). Entre os entrevistados que não pretendem comprar presentes para si (21,4%), as questões relacionadas à falta de dinheiro (11,1%) e incertezas com relação ao próximo ano (10,1%) chamam a atenção.

Cada entrevistado deve comprar, em média, dois presentes para si, sem variação significativa entre as classes sociais. Em relação ao valor médio gasto esses presentes, houve um aumento significativo, passando de R$ 130,34 no ano passado para R$ 172,96, ou seja, um aumento de 21,19%, levando em conta a inflação do período. Esse valor é superior ao valor pretendido para o presente de outras pessoas, que é de R$ 106,94.

O SPC Brasil entrevistou 601 consumidores de ambos os sexos e de todas as idades e classes sociais nas 27 capitais brasileiras e no interior.

(Com informações da assessoria de imprensa)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile