Comércio de móveis e eletrodomésticos cresce 5,3% em janeiro

Segundo Pesquisa Mensal do Comércio, do IBGE, o varejo de móveis e eletrodomésticos mantém-se em crescimento graças a maior oferta de crédito ao consumidor

Publicado em 13 de março de 2018 | 14:29 |Por: Luis Antônio Hangai

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Em janeiro de 2018, frente a igual mês do ano anterior, o volume de vendas no comércio de móveis e eletrodomésticos apresentou expansão de 5,3%, décima taxa positiva seguida desde que o setor recuperou o ritmo ascendente em maio de 2017. Os dados da Pesquisa Mensal do Comércio foram divulgados nesta terça-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No comparativo com o mesmo mês do ano anterior, o comércio de móveis e eletrodomésticos esteve acima da média do varejo nacional, que evoluiu a 3,2%. O setor exerceu a terceira maior influência positiva sobre a taxa do varejo frente a janeiro do ano passado, ficando atrás somente de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (3,1%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (10,5%).

Desempenho do setor moveleiro cresce em 2017, segundo Iemi

De acordo com o IBGE, esse resultado acima da média geral das vendas está associado à maior disponibilidade de crédito à pessoa física. Em termos de resultado acumulado nos últimos 12 meses, a taxa de móveis e eletrodomésticos ficou em 9,6%, mantendo a trajetória de recuperação iniciada em março de 2016 (-16,6%).

Comércio de móveis e eletrodomésticos
No entanto, a taxa comparativa entre janeiro deste ano e o mesmo mês do ano passado, no segmento de móveis, foi a menor desde a retomada do setor em maio de 2017, quando o indicador registrou alta de 14%. Por outro lado, já na variável acumulada dos últimos doze meses, o crescimento de 9,6% foi o maior registrado desde o surgimento dos primeiros indicadores positivos do setor em agosto de 2017 (0,8%).

Comércio de móveis e eletrodomésticos
No comparativo entre janeiro de 2018 e o mês de dezembro do ano anterior, o comércio de móveis e eletrodomésticos apresentou recuo de 2,3%. Trata-se da segunda queda consecutiva, uma vez que entre novembro e dezembro do ano anterior a taxa oscilou negativamente em -3,5%.

Comércio de móveis e eletrodomésticos
Receita nominal no comércio de móveis e eletrodomésticos

Além do volume de vendas, a receita nominal no comércio de móveis e eletrodomésticos também cresceu a 2,5% em janeiro deste ano comparado com o mesmo mês do ano anterior. A taxa, no entanto, é a menor registrada desde fevereiro de 2017, quando a alta foi de apenas 0,9%.

Produção de móveis acumula alta de 5,9% e mantém ritmo de crescimento

No acumulado dos últimos doze meses, o crescimento nos valores em vendas chega a 7,4%, constituindo-se como a sétima taxa positiva seguida. Já no comparativo entre janeiro de 2018 e dezembro de 2017, a queda nos valores nominais no varejo de móveis e eletrodomésticos foi de -1,5%.

Comércio de móveis e eletrodomésticos


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile