Número de empresas inadimplentes cresce 5,01% em 2016

68% do total de dívidas atrasadas pertencem ao setor de Serviços, que engloba bancos e financeiras; região Nordeste foi a que teve o aumento mais expressivo de pessoas jurídicas negativadas

Publicado em 26 de janeiro de 2017 | 12:35 |Por: Phaenna Assumpção

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Shutterstock

shutterstock_61213405

Em 2015 a variação anual havia sido de 11,9%

O número de empresas inadimplentes continua crescendo na comparação anual, mas teve a menor variação em um ano, desde o início da série histórica. De acordo com o indicador calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), a alta foi de 5,01% em 2016 -. Também foi observado um aumento na quantidade de dívidas em atraso em nome de pessoas jurídicas: 3,37% a mais na comparação entre 2016 e 2015. Neste caso, a variação também foi abaixo do que em 2015 (13,62%).

Os dados levam em consideração todas cinco regiões brasileiras e, segundo o indicador, a região em que mais aumentou o número de empresas inadimplentes no último mês foi o Nordeste, com avanço de 6,96% na comparação com igual período de 2015. Em seguida aparece o Norte, que registrou avanço de 6,45%, o Centro-Oeste (4,49%), o Sudeste (4,44%) e a região Sul (3,19%).

Para o presidente da CNDL, Honório Pinheiro, o cenário de negativação das empresas está desacelerando mesmo em um ambiente de crise econômica. “Isso porque o movimento da inadimplência sofre a influência de dois vetores principais que atuam em direção oposta: o primeiro é redução da capacidade de pagamento das empresas, que tende a elevar o número de contas pendentes; o segundo é a restrição do crédito, que, ao reduzir o estoque de dívidas, limita também o crescimento da inadimplência”, explica.

Leia mais
Índice Fipe Buscapé registra deflação nos preços do varejo eletrônico 
Crescem expectativas dos expositores da Movelpar 2017 
Dalmóbile adapta móveis para food truck 

De acordo com o indicador, em dezembro o crescimento do número de dívidas de pessoas jurídicas pelo setor credor, ou seja, para quem as empresas estão devendo, teve o comércio aparecendo com a maior alta (11,34%), seguido pela indústria (8,40%) e o segmento de serviços, que engloba bancos e financeiras (1,13%). Porém, em termos de participação no total das dívidas, o setor de serviços é o que mais se destaca, com um total de 68,53% das dívidas. O comércio aparece em seguida (17,62%) e a indústria em terceiro lugar (12,31%).

Metodologia
O indicador de inadimplência das empresas sumariza todas as informações disponíveis nas bases de dados do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas). As informações disponíveis referem-se a capitais e interior das 27 unidades da federação.

(com informações da assessoria)

Quer saber mais? Curta a página do Portal eMóbile no Facebook e fique por dentro do setor moveleiro.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile