Cimol Móveis investe em primeiro emprego

Atualmente cerca de 22% dos colaboradores da Cimol são de primeiro emprego. Empresa utiliza esta estratégia para tentar driblar a falta de mão de obra qualificada

Publicado em 24 de novembro de 2014 | 12:01 |Por: Marina Werneck de Capistrano

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Divulgação Cimol

Atualmente cerca de 22% dos colaboradores da Cimol Móveis são de primeiro emprego

Atualmente cerca de 22% dos colaboradores da Cimol Móveis são de primeiro emprego

Pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgada em 2013, revelou que 65% das indústrias brasileiras enfrentam problemas com a falta de qualificação dos seus trabalhadores. O secretário executivo do Sindicato das Indústrias da Madeira e do Mobiliário de Linhares e Região Norte do Espírito Santo (Sindimol), Edmilson Supelete, diz que o surgimento de novas indústrias e o crescimento do setor de petróleo e gás, agravou ainda mais o problema na região.

“Hoje a falta de mão de obra qualificada é um gargalo não só do setor moveleiro, mas de muitos outros setores industriais, que tem competido entre si a pequena oferta que existe atualmente. Em Linhares o surgimento de novas indústrias e o crescimento do setor de petróleo e gás, nos últimos anos, trouxe impactos para todos, em função da pouca disponibilidade de pessoal qualificado”, aponta Edmilson.

Para driblar o problema os empresários do setor buscam alternativas. A Cimol Móveis, fabricante de jogos de sala e multifunções, através de seu projeto de responsabilidade social Viver Cimol, criou o programa Primeiro Emprego – oportunidade aos jovens que não tem experiência profissional de ingressar no mercado de trabalho. Ao ser contratado, é oferecido um treinamento de capacitação.

Leia mais:
Cimol comemora aumento de 20% nas vendas em 2014
Móbile inicia comercialização da Móvel Show 2016
Emprego em queda, estratégias em alta

Pedro Giavarini, superintendente da Cimol, diz que ao longo dos anos o resultado tem se mostrado muito positivo, porém, exige uma equipe muito bem preparada para treinar e acompanhar esse profissional até que ele desenvolva conhecimentos e habilidades para exercer funções inerentes ao cargo, e enumera os benefícios do programa.

“Os profissionais de primeiro emprego normalmente estão com todo o gás de início de carreira, tem muita energia e se dedicam para aprender e mostrar um bom trabalho, além disso é mais viável para empresa investir em formação de profissionais do que buscar no mercado a um alto custo”, diz. O superintendente acrescentou ainda que para algumas funções é necessário atuação de profissionais mais experientes.

Na prática

Divulgação Cimol

Vista aérea da Cimol, localizada no polo moveleiro de Linhares, norte do Espírito Santo

Vista aérea da Cimol, localizada no polo moveleiro de Linhares, norte do Espírito Santo

Há vários anos investindo nessa ideia a Cimol já colhe bons frutos dessa iniciativa. Maxwell Ferreira Nunes, 29, há nove anos na empresa, é resultado da aposta no programa de Primeiro Emprego. Ele lembra que, na época em que foi contratado, distribuiu currículos em várias empresas, mas como não tinha experiência, demorou para conseguir uma colocação no mercado de trabalho, até ser contratado pela Cimol.

Hoje, ele ocupa o cargo de auxiliar de planejamento, programação e controle da produção e faz um questionamento: “se o jovem não tiver oportunidade de mostrar sua força de vontade e nem se aprimorar, como é que ele vai ter um lugar no mercado de trabalho?”. Atualmente, cerca de 22% dos colaboradores da empresa são de primeiro emprego.

(com informações do departamento de marketing)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile