CEO da GS&ECOMM fala sobre Black Friday

A Black Friday é uma das datas mais importantes para o varejo virtual brasileiro

Publicado em 26 de novembro de 2014 | 9:17 |Por: Marina Werneck de Capistrano

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Divulgação GS&ECOMM

Ricardo Michelazzo, CEO da GS&ECOMM, afirma que o futuro do varejo ainda está no cliente

Ricardo Michelazzo, CEO da GS&ECOMM, afirma que o futuro do varejo ainda está no cliente

A quarta edição da Black Friday Brasil acontece nesta sexta-feira, 28 de novembro. A ação virtual – que contempla uma série de descontos em produtos – segundo a empresa E-bit, terá para este ano a previsão de faturamento na casa dos R$ 1,2 bilhão, o que representa um crescimento nominal de 56% em relação ao evento de 2013. Na oportunidade, o setor movimentou R$ 770 milhões num único dia.

O CEO da GS&ECOMM, Ricardo Michelazzo, comenta que na data o maior desafio está no planejamento. “Selecionar quais produtos, preparar boas e verdadeiras promoções, estar preparado para receber e atender um grande volume de pedidos e, consequentemente, toda a demanda de entregas e SAC que isso gera. O desafio é estar preparado para dar certo”, diz.

A importância do evento, segundo o CEO, é conquistar clientes e vender. “Assim como todas as outras ações que o varejo faz, o Black Friday também é voltado para venda e, através dela se tem a oportunidade de oferecer todo leque de serviços que, juntos, vão compor a experiência que os clientes tanto buscam”.

Para o varejista

Michelazzo aponta que cada varejo tem sua particularidade, modelo comercial, cadeia de fornecimento e que isso muda a questão de como e quando começar o seu planejamento para a data. “Porém, alguns pilares não podem ficar de fora do planejamento. Nas áreas: comercial, marketing, logística, SAC e TI, assim como seus fornecedores, é importante que todos firmem compromissos entre si para garantirem para o cliente a melhor experiência possível. Importante também ter os fornecedores na mesa para definir questões de custo. O planejamento não se difere em nada do que o varejo já faz com relação a outras datas comemorativas”, ressalta.

Do varejista para o consumidor

Shutterstock

A logística é um dos pontos altos a serem considerados pelas empresas. "Cumpra com o que você combinou com o consumidor", afirma o CEO da GS&ECOMM

A logística é um dos pontos altos a serem considerados pelas empresas. “Cumpra com o que você combinou com o consumidor”, afirma o CEO da GS&ECOMM

Falando em Black Friday, os clientes buscam o melhor preço, na melhor condição e receber no melhor prazo ou no mínimo no prazo acordado. “Parece muito simples mas não é. Existem muitos fatores que vão impedir que isso ocorra e fazer com que a experiência não seja boa. Alguns problemas serão ocasionados pela própria operação por conta de alta demanda e/ou erros no planejamento, mas muitos problemas serão externos e ocasionados principalmente por problemas relacionados com a entrega e que, algumas vezes, não dá pra ser solucionado. Se quer um exemplo, estamos há alguns dias do evento e os correios  estão de greve. Ou seja, essas grandes datas mostram o como somos frágeis em relação a isso”.

Leia mais sobre a Black Friday:
Móveis são foco da Berlanda na Black Friday
Black Friday: Dicas para o consumidor e o lojista
Magazine Luiza se prepara para Black Friday

Como conselho, o CEO deixa claro: Cumpra com o que você combinou com o consumidor. “Entregue o que ele adquiriu. Caso tenha algum problema com o pedido do cliente e que você não pode evitar, informe-o previamente e, atenda-o quando ele te contatar e resolva eventuais problemas. Não acho que devemos buscar soluções milagrosas para fidelização. Vamos fazer o simples e que funciona. É uma data de compra de oportunidade, vamos aproveitá-la para iniciar uma ótima relação com o cliente e, a partir disso, criar uma relacionamento longo e customizado com esse consumidor”, avalia.

Para finalizar, Michelazzo é enfático quando afirma: Futuro do varejo ainda está no cliente! “Quem souber o que esse cara quer, quando quer, quanto quer gastar e entregar isso das formas mais convenientes e criar uma história de relacionamento com esse clientes é quem vai ganhar esse jogo. Ele ressalta que o e-commerce é somente um canal de tecnologia e suporte de toda essa estratégia de relacionamento que se deve ter.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile