Catálogos comerciais são vitrine de produtos

Importante ferramenta de marketing, catálogos comerciais bem executados podem se tornar o diferencial da empresa

Publicado em 1 de dezembro de 2014 | 15:41 |Por: Júlia Magalhães

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Bons catálogos comerciais devem ser capazes de atender a estratégia de comunicação e de negócios, traduzindo de forma eficiente as informações relevantes da empresa. É o que indica o coordenador do curso de Design Gráfico da Universidade Anhembi Morumbi, de São Paulo (SP), José Neto de Faria. Segundo ele, não existem fórmulas prontas para a produção de um catálogo. “As características dependem das estratégias de comunicação e de negócios de cada empreendimento”, salienta Faria.

O coordenador explica que um catálogo para consumidores, por exemplo, deve ter mais ênfase na apresentação do estilo de vida do consumidor associada ao produto, com fotos, renderings, modelos e ambientações, pois, desta forma, as imagens podem cativá-los com mais eficiência.

Confira entrevista exclusiva ao Portal eMobile com José Neto de Faria sobre a importância deste produto, e como ele pode se melhor utilizado.

Divulgação Phorma Design

Catálogos comerciais

Desenvolvido pela Phorma Design, o catálogo de mobiliário infantil segue linguagem lúdica

 

Portal eMobile – Como deve ser um bom catálogo para atender às demandas dos clientes? Por exemplo, há algum padrão correto a seguir?
José Neto de Faria – Em linhas gerais, um catálogo deve ser pensado em função de suas finalidades, ou seja, a maioria dos catálogos deve ter um foco de comunicação que pode ser: técnico detalhado para representantes; técnico informativo para representantes e consumidores; ou promocional fantasia para consumidores.

Como as informações devem ser compiladas? Qual é o melhor layout? Tamanho adequado? Tipo de papel?
Faria – Conforme o posicionamento no mercado e a estratégia de comunicação, todas as informações devem ser classificadas e organizadas numa hierarquia que respeite uma lógica de comunicação eficiente. Geralmente damos ênfase às fotos e aos desenhos técnicos que esclarecem as qualidades formais e dimensionais do produto. Mas em determinados produtos as informações sobre as propriedades das matérias primas e dos processos devem ser destacados, pois agregam valor ao produto.

Não existe layout, formato ou papel adequado. O ato de comunicação deve ser pensado como um todo. As definições dependem da estratégia de comunicação e do modelo de negócios.

É mais indicado usar fotografia ou render?
Faria – Não existe fotografia ou render mais adequados. Usar uma foto ou um rendering depende da concepção da estratégia de comunicação e do modelo de negócios. Contudo, é muito importante lembrar que fotos ou rendering mal executados, sempre denigrem o produto. Assim, é importante que tenhamos cuidado para executar a produção das imagens, pois o gasto para se fazer uma boa foto ou rendering costuma ser o mesmo.

Então, quando usar foto e quando usar render? O que uma boa foto ou render deve ter?
Faria – Uma boa foto ou rendering deve ser capaz de valorizar a volumetria, as cores, as texturas, a luz do ambiente, a pele das modelos (quando houver) e os detalhes do produto. Não existe uma regra, mas as fotos dos produtos ambientados geralmente dão melhores resultados com produtos mais sofisticados. Os renderings são excelentes para mostrar detalhes de uma maneira limpa e objetiva.

Leia mais:
Marketing digital: sua empresa está na internet?
Parceria para lojistas de decoração
Matéria-prima sustentável: Raízes que encantam

Divulgação Studio Marta Manente

Catálogos comerciais

Além dos catálogos impressos, há possibilidade de utilizar plataformas digitais

Qual é a melhor ambientação para um catálogo de móveis? O que o ambiente deve ter?
Faria – Geralmente, cria-se um ambiente condizente com o produto ou se fotografa com fundo neutro. Um bom ambiente deve ser capaz de destacar o produto fotografado e, ao mesmo tempo, descrever o estilo de vida da pessoa que o produto será direcionado.

As cores influenciam? Por quê?
Faria – Sempre as cores irão influenciar psicologicamente o ser humano, mas não só as cores, as texturas, o ambiente, as modelos etc. O catálogo é uma peça gráfica de informação e promoção complexa com vários níveis de informação, que pode promover o acolhimento dos produtos ou simplesmente gerar indiferença. Se a empresa quer faturar deve planejar, estabelecer uma estratégia de comunicação eficiente para atingir o público-alvo. As cores são como a cereja no bolo, um toque de estilo associado a um fim.

Por fim, quais informações sobre a loja precisam estar ao acesso do cliente?
Faria – Todas as informações do fabricante e do lojista devem ser valorizadas como estratégia de transparência da empresa. Mas, geralmente, os fabricantes e lojistas apresentam principalmente os contatos de vendas e suporte. Contudo, as informações devem ser organizadas de modo claro e objetivo para que o cliente não tenha muito trabalho para encontrar as informações e sinta confiança na empresa.

Saiba mais a respeito da importância dos catálogos comerciais em uma matéria completa sobre o assunto na Móbile Lojista 313.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile