O alento que vem do aumento da renda

O mercado de trabalho no Brasil segue aquecido, o que é importante para o consumo, em contraposição a um inibidor: a alta da taxa dos juros

Publicado em 6 de junho de 2014 | 9:08 |Por: Renata Bossle

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Se o consumidor não demonstra muita disposição para consumir nos próximos meses, conforme têm apontado pesquisas de intenção de compra, e a elevação dos juros se torna restritiva para aquisições a prazo, há pelo menos dois indicadores econômicos que podem animar os varejistas: o nível de empregos e o aumento da renda das famílias. O primeiro semestre de 2014 caminha para o seu fim com o Brasil gerando mais postos de trabalho em relação a 2013, quando já havia sido um ano de crescimento nesse indicador. Igualmente em expansão segue a massa salarial dos trabalhadores.

Antônio Pinheiro/Governo do RJ/Fotos Públicas

Brasil criou 345 mil postos de trabalho no primeiro trimestre de 2014, um aumento de 13%

Brasil criou 345 mil postos de trabalho no primeiro trimestre de 2014, um aumento
de 13%

A perspectiva de que tais indicadores seriam favoráveis em 2014 foi adiantada pela primeira edição do ano da Móbile Lojista (edição 304, de janeiro/fevereiro). Na ocasião, economistas consultados pela reportagem destacaram que a geração de empregos e renda seriam fundamentais para assegurar crescimento do varejo no ano. A Confederação Nacional do Comércio (CNC), em mais recente estimativa (de abril), calcula alta de 5,3% nas vendas do varejo em 2014, em relação ao ano passado.

Leia mais:
Simov: Posse da nova diretoria inclui promessas
CNI mostra desaquecimento da indústria
PIB atinge R$ 1,2 trilhão no primeiro trimestre

De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, no primeiro trimestre deste ano foram gerados quase 345 mil postos de trabalho formais, uma expansão de 13% em relação ao mesmo período de 2013 (quando o saldo de novos empregos foi de 306,1 mil). No acumulado em 12 meses (abril de 2013 a março de 2014), foram 1,02 milhão de novos empregos, acréscimo de 2,5% sobre o período imediatamente anterior. Para o período janeiro a dezembro de 2014, o Ministério do Trabalho projeta um saldo de 1,4 milhão de postos de trabalhos criados no País.

Copa do Mundo

Especialmente nos próximos meses o mercado de trabalho deverá ser expandido em razão da Copa do Mundo. As contratações deverão se concentrar sobretudo em atividades ligadas ao turismo, no setor de serviços e no segmento de segurança, informa o Ministério do Trabalho. Só no turismo, a Confederação Nacional do Comércio calcula a abertura de 50 mil empregos em todo o País. “O evento vai causar impactos positivos nesse setor, afinal de contas são esperados 3,6 milhões de turistas para a Copa do Mundo”, afirma o economista Fábio Benites, da entidade.

Confira essa reportagem completa na edição 307 da revista Móbile Lojista.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile