Catas e Cosmob propõe qualidade de marca para o setor moveleiro italiano

A proposta para o setor consiste em uma marca real que certifica com credibilidade a sua origem e qualidade italiana

Publicado em 26 de outubro de 2017 | 17:09 |Por: Ricardo Heidegger

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A partir de considerações como dar objetividade ao significado do termo “Made in Italy“, e deixar claro que uma cadeira, mesa ou gabinete são resultado das habilidades e da atenção à qualidade, a Catas e Cosmob, dois dos laboratórios italianos mais importantes para análises, testes e certificação de móveis, decidiram unir suas forças. A proposta para o setor moveleiro italiano, consiste em uma marca real, um rótulo que colocado no mobiliário, certifica com credibilidade a sua origem e qualidade italiana.

Para garantir que o conteúdo deste padrão seja o valor da origem e da qualidade italiana, sendo assim percebido por todos ao redor do mundo, as marcas enxergaram a necessidade de algo que seja facilmente compreensível, intuitivo e claro, ou seja, uma marca com essas definições. Vale salientar que atualmente, essas tarefas ganharam um caminho mais fácil em conseqüência da publicação da norma italiana UNI 11674, que consiste em: “Móveis – Requisitos para determinar a origem do mobiliário italiano”.

Divulgação LDR-Comunicazione

Catas e Cosmob no setor moveleiro italiano

A marca com as definições propostas ganhou facilidade de execução por causa da publicação da nova norma italiana UNI 11674

O projeto ambicioso foi apresentado às empresas deste setor em Pordenone, durante a última edição da Sicam. Muitos comentários e perguntas ocorreram após as apresentações do diretor da Catas, Andrea Giavon, e a gerente de certificação Lorena Riul.

Além deles o diretor gerente da Cosmob, Alessio Gnaccarini, e o diretor técnico Francesco Balducci também participaram do bate-papo. Outros convidados como o responsável pela padronização no FederlegnoArredo, Marco Fossi, e o diretor do cluster Arredo Friuli-Venezia Giulia, Carlo Piemonte, marcaram presença no evento.

“Made in Italy”

A manifestação positiva é um sinal dos fabricantes de móveis do setor moveleiro italiano de seu interesse real em ter uma ferramenta que pode avaliar o desempenho de um produto, sendo por sua qualidade, funcionalidade, segurança, confiabilidade e sustentabilidade. Estes podem ser considerados valores indiretos, que consiste em uma expressão de uma cultura ligada à área da produção, ao invés de sistemas econômicos específicos, como o pleno respeito das regras ambientais, dos direitos trabalhistas e da qualidade de vida. É em todos esses valores materiais e imateriais que lançam as bases do “made in Italy”.

– Vendas de imóveis novos crescem entre janeiro e agosto de 2017

“Criar um sistema de certificação italiano para mobiliário sério, estruturado, credível e confiável é uma maneira concreta de estar ao lado de negócios virtuosos, ajudando a valorizar produtos nos mercados domésticos e internacionais”, comentou o diretor gerente da Cosmob, Alessio Gnaccarini, que ainda afirma que por meio desse sistema simples e efetivo, o resultado da enorme competência que os dois laboratórios ganharam ao longo de décadas de atividade ficou evidente.

Setor moveleiro italiano

O know-how técnico é fundamental na visão dos laboratórios que trabalham juntos a fim de destacar o valor do “made in Italy” dentro do setor moveleiro italiano. Para provar esse detalhe, as marcas definem que primeiro, é importante identificar produtos e processos de produção, verificando no laboratório o cumprimento dos requisitos técnicos definidos pelas normas, além de verificar a origem italiana de materiais e produtos semi-acabados conforme previsto pela UNI 11674.

– Carga tributária no Brasil é maior da América Latina e Caribe

“Nós desejamos desenhar uma solução simples. Catas e Cosmob formaram uma secretária conjunta para a gestão da ‘Marca de Origem Italiana’ e um caminho de certificação muito simples, que pode ser seguido sem qualquer dificuldade, não apenas pelos grandes fabricantes de móveis italianos, mas também por pequenas e médias empresas procurando novas oportunidades para competir no mundo. A proposta foi lançada, agora é hora de responder as empresas”, destaca o diretor da Catas, Andrea Giavon.

(com informações de assessoria)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile