Preços no e-commerce de casa e decoração abrem 2018 em alta

Apesar da retração em cinco dos dez grupos na comparação de janeiro com dezembro do ano passado, a categoria apresentou crescimento otimista

Publicado em 19 de fevereiro de 2018 | 17:19 |Por: Ricardo Heidegger

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Os preços no e-commerce abriram 2018 com crescimento em cinco categorias do setor, segundo a medição do Índice Fipe Buscapé. O grupo “casa e decoração” foi um dos que mostraram melhor crescimento entre os dez pesquisados. Na comparação de janeiro com dezembro de 2017, a categoria teve alta de 1,26%. No lado contrário da comparação, em geral, os preços do e-commerce em geral registraram baixa. São 14 meses consecutivos de deflação anual.

O crescimento dos preços no e-commerce na medição mensal é comprovada com a alta de 0,29%, porém, esse é o menor índice para o mês de janeiro desde o início da série histórica, há sete anos, e em linha com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Dos dez grupos monitorados pelo índice Fipe Buscapé, os que apresentaram redução em janeiro, na comparação ante ao mês anterior, tiveram queda impulsionada, principalmente, pelas categorias telefonia e celulares (-13,43%) e fotografia (-9,77%). Esporte e lazer (-3,99%) Moda e acessórios (-3,38%) e Informática (-1,99) também apresentaram queda. No campo oposto, registraram aumento de preço os grupos eletrônicos (0,26%), eletrodomésticos (2,11%), cosméticos e perfumaria (3,27%) e brinquedos e games (5,24%), além do grupo de casa e decoração.

Divulgação Buscapé/Ketchum

Preços no e-commerce

Série histórica do Índice FIPE Buscapé

“Iniciamos 2018 com os preços em queda na comparação anual e a boa notícia é que, apesar dos preços terem subido na medição mensal, o índice foi o menor dos últimos 84 meses. A expectativa é que os preços do e-commerce se mantenham em queda, reforçando a competitividade do e-commerce”, afirma o CEO do Buscapé, Sandoval Martins.

Por conta de sua composição e características, a cesta de produtos do e-commerce tende a ser deflacionária em condições ideais de mercado. A comparação é feita sempre dos mesmos produtos, que propendem à desvalorização com a disseminação da tecnologia, lançamento de um produto superior na mesma categoria ou troca de coleção e mostruário.

– Indicador de Confiança do Consumidor abre 2018 com crescimento

Já a inflação dos preços gerais, medida pelo IPCA, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foi de 2,86% nos últimos 12 meses terminados em dezembro, inferior ao piso do intervalo de meta inflacionária de 3%, o que mostra que os preços do comércio eletrônico tiveram variação de -6,1% em relação aos preços gerais da economia.

(com informações de assessoria)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile