Economia mais competitiva é foco do Business Day 2017

Com público formado por executivos de diversos setores, empresários analisaram as potencialidades nacionais e como tornar a economia mais competitiva

Publicado em 2 de outubro de 2017 | 20:00 |Por: Gabriela de Lara

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Na última quarta-feira (27), o Amcham Business Day reuniu executivos de grandes, médias e pequenas empresas para debater as possibilidades para uma economia mais competitiva no Brasil e no Paraná.

Com o tema “A Terceira Onda – Como a informação está mudando a competição”, o Business Day 2017 foi organizado pela Câmara Americana de Comércio (Amcham-Curitiba). O evento aconteceu na Unicuritiba e reuniu empresários de todo o Paraná, que ainda participaram de rodadas de negócios, workshops, palestras e ações de comércio exterior.

O Fórum de + Competitividade Brasil foi uma das principais atrações do evento. No fórum, palestrantes com grande experiência na área comentaram o atual cenário político-econômico e os caminhos possíveis para projetar o país na economia global.

Crédito: Priscilla Fiedler

economia mais competitiva

Donna Hrinak acredita na educação como chave para o desenvolvimento

A presidente da Boeing para a América Latina e ex-embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Donna Hrinak, destacou a educação e a diversidade como alicerces do crescimento, capazes de formar mão-de-obra qualificada para o mercado e a aceitação da diversidade, não só de gênero ou raça, mas de culturas e experiências.

Para Donna, um bom sistema educacional proporciona ao mundo corporativo um ambiente mais plural e compreensivo em relação às necessidades dos clientes. Donna considera que o momento de instabilidade política ensina que a responsabilidade pelo desenvolvimento deve ser compartilhada entre cidadãos, empresas e governo, e precisa haver mobilização.

Analisando a atual crise política que agravou a situação da economia nacional, o jornalista e cientista político William Waack defendeu uma mobilização do que chama de “elite pensante” pela retomada do crescimento e por uma maior inserção do Brasil no mercado internacional.

 Consumidores avaliam vida financeira no país negativamente

Segundo o jornalista, o descrédito no sistema político não deve afetar o engajamento nas questões políticas. Waack afirmou que “os empresários precisam pensar para o mundo” ao analisar a participação pouco expressiva do país em acordos internacionais, blocos comerciais e em políticas de aproximação com centros tecnológicos.

Economia mais competitiva

A economia do Paraná foi o foco da palestra de encerramento do fórum que discutiu soluções para uma economia mais competitiva. José Aroldo Gallssini, presidente da Coamo, ressaltou que o cooperativismo é uma das grandes forças da economia paranaense, explicando que o sucesso das cooperativas está diretamente ligado à participação efetiva dos cooperados na gestão.O presidente ainda apontou boas práticas aplicáveis também às empresas, como o investimento na formação de pessoal qualificado e o empenho em evitar a perda desses profissionais.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile