Como se diferenciar no mercado de móveis planejados

Relatório do Sistema de Inteligência Setorial do Sebrae auxilia micro e pequenos empresários que querem se tornar competitivos neste setor

Publicado em 20 de dezembro de 2017 | 17:00 |Por: Thiago Rodrigo Pereira da Silva

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O Brasil é o quinto maior produtor de móveis do mundo. Enquanto em 2014 o volume de peças do mercado de móveis planejados representava 8% do total, em 2016 equivalia a 9,5%. O que pode ajudar a explicar esta expansão é o fato de que móveis planejados têm valor agregado maior aos clientes, o que impacta menos na redução de demanda.

Mas os empreendedores que atuam nesse segmento precisam compreender os desafios e traçar estratégias capazes de superá-los. É o que o Sistema de Inteligência Setorial (SIS) do Sebrae apresenta no relatório disponibilizado gratuitamente a pequenas empresas do setor de móveis planejados. Do total produzido pelo mercado nacional, 67,7% são móveis para uso residencial, 13,7% para escritórios e 11,8% para outros fins (escolar, hospitalar etc.). Com relação ao uso de matérias primas, a madeira é predominante (85,3%) na indústria – o metal é usado em 8,3% das unidades.

Um dos desafios é vencer a dependência do mercado interno, que vem sofrendo grandes variações de demanda em função de crises econômicas. Outro ponto-chave é a necessidade de uma gestão profissional nas empresas, muitas delas familiares que precisam adotar ferramentas modernas e contar com equipes estruturadas para crescer.

Modelo de negócio no mercado de móveis planejados

Empreendedores desse segmento costumam optar por um desses modelos de negócio: fábrica com loja própria ou marcenaria. Conheça algumas diferenças entre as opções:

As fábricas com lojas próprias trabalham com módulos pré-definidos (modulados) para otimizar os processos de produção; costumam oferecer número limitado de cores, acabamentos e acessórios (por questões de competitividade); possuem estrutura mais complexa, com linha de produção, projetistas e ponto de venda; geralmente criam ambientes (showrooms) para apresentação dos produtos; e precisam oferecer serviço eficiente de pós-venda, oferecendo tempo de garantia dos produtos aos compradores.

As marcenarias, por sua vez, são mais flexíveis na produção porque costumam trabalhar sob medida e conseguem utilizar qualquer cor, acabamento ou acessório disponível em revendas; não costumam trabalhar com grande estoque de materiais e peças e possuem estrutura mais enxuta; por outro lado, não oferecem muita negociação nos pagamentos dos clientes e costumam oferecer garantias menores e, geralmente, não possuem uma área de pós-venda bem estruturada.

Cases inovadores do mercado de móveis planejados

Mas nada impede os empreendedores de pensar em novos modelos de negócio, um diferencial importante para se destacar no mercado de móveis planejados. É o que fez, por exemplo, a plataforma NaCasa, criada com o objetivo de proporcionar um canal de vendas de e-commerce para várias empresas da cadeia produtiva, principalmente as pequenas e médias.

A empresa nasceu como startup e contou com o apoio do Sebrae para aprimorar o desenvolvimento e operação do negócio. Na plataforma, o consumidor escolhe o produto disponível e, automaticamente, o lojista mais próximo é notificado para emitir o pedido ao fabricante do móvel.

A Crush Design, de Tubarão (SC), inovou ao oferecer móveis desenvolvidos por eles ou por outros designers, com a possibilidade de comprar o produto pronto ou apenas baixar (a um custo baixo) o projeto em formato digital para pequenos fabricantes que possuem máquinas CNC. Assim, seu público pode ser tanto o consumidor final quanto outras fábricas que buscam móveis com design diferenciado.

Para os empreendedores interessados em buscar diferenciação dos produtos, o SIS-Sebrae recomenda

– Monitorar as redes sociais e traçar estratégias digitais para se manter bem posicionado nelas. Mais de 60% dos consumidores de móveis realizam pesquisas na internet antes de efetuar suas compras
– O setor de móveis planejados tem grande relação com o setor de construção civil, portanto, avaliar a criação de parcerias com empresas desse ramo, como construtoras, por exemplo, para realizar ambientes decorados ou outras situações que possam beneficiar ambos os negócios
– Confira outros materiais produzidos pelo Sistema de Inteligência Setorial do Sebrae sobre design como diferencial competitivo, gestão familiar, mercado de pets, cocriação para empresas e consumidores, entre outros.


Uma resposta para “Como se diferenciar no mercado de móveis planejados”

  1. Gustavo FLS disse:

    o mercado moveleiro está cada vez mais concorrido, mesmo entre os nichos. Pessoalmente, eu tive um bom resultado terceirizando alguns serviços na montagem e na limpeza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile