Basf reforça medidas simples de consumo no Dia Mundial da Água

Uma das metas da empresa é de reduzir 20% do volume de água consumida por tonelada produzida na América do Sul até 2025

Publicado em 22 de março de 2018 | 17:31 |Por: Ricardo Heidegger

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

No Dia Mundial da Água, a Basf reafirma a importância do consumo consciente desse recurso natural essencial à vida de todos. A empresa tem como um dos principais pilares de estratégia a sustentabilidade e parte fundamental disso é a busca pelo uso consciente dos recursos naturais. Por isso, a empresa foi reconhecida, mais uma vez, como líder global em gestão sustentável de água pela Carbon Disclosure Project, que é uma organização internacional sem fins lucrativos e tem como objetivo suportar a gestão de riscos e resultados ambientais de empresas, cidades e estados.

De acordo com a empresa as metas são arrojadas e focadas na redução do consumo específico de água em suas unidades fabris. Na América do Sul, o objetivo é reduzir 20% entre 2016 e 2025. A companhia também é fornecedora líder em soluções para purificar a água potável, no tratamento de efluentes e de processos industriais, para proteger torres de arrefecimento, caldeiras e instalações de dessalinização.

Entre 2002 e 2017, a Basf reduziu em 55% o volume de água consumida por tonelada produzida na América do Sul. No complexo químico de Guaratinguetá, essa redução foi de 80% no mesmo período, local em que também foi desenvolvido o Programa de Educação e Conservação Ambiental Mata Viva, que é realizado em parceria com a Fundação Espaço Eco. De acordo com a Basf, ele disponibiliza para empresas, cooperativas e produtores rurais soluções que visam proteger as margens de rios e córregos, beneficiar a biodiversidade nos biomas da Mata Atlântica e do Cerrado e contribuir com a conservação ambiental, retomando essa importância no Dia Mundial da Água.

Histórico da Basf

Desde 1984, o programa que reafirma os projetos no Dia Mundial da Água, já reflorestou mais de 260 mil mudas de mata ciliar ao longo de quatro quilômetros na margem direita do Rio Paraíba do Sul. Na região, destaca-se ainda a parceria com a Prefeitura e a Fundação Espaço Eco para implementação do Programa Produtor de Água, que tem como objetivo aumentar a disponibilidade de água na bacia hidrográfica do Ribeirão de Guaratinguetá, que é responsável por 90% do abastecimento público de água do município.

– Feira colombiana do setor moveleiro convence e vira referência na região dos Andes

Na fábrica de herbicidas da Basf, a empresa reduziu em 90% (o equivalente a 85 mil m³) o consumo de água entre os anos de 2016 e 2017, graças à adoção de uma série de medidas simples de economia. De acordo com a empresa, para que isso acontecesse, foi elaborado um planejamento anual da produção, reorganizando a sequência dos pedidos de produtos, permitindo reduzir a necessidade de limpeza da planta, processo que responde por cerca de 70% do consumo de água da fábrica. Com isso, o número de limpeza caiu de seis para quatro no ano.

Outras medidas 

Segundo a empresa, o importante é otimizar o processo de limpeza nas unidades operacionais, reafirmando a ação no Dia Mundial da Água. Anteriormente, quando o processo era feito, a empresa parceira entrava com a equipe e já iniciava a limpeza com o uso de água. Hoje, antes a de acionar equipe externa, o time da própria planta produtiva começa a limpar, inicialmente com o uso de equipamentos de limpeza a seco, permitindo retirar o resíduo mais volumoso.

Na segunda etapa entra a limpeza com água com uso de máquinas industriais de alta pressão, que reduzem o volume de água e emitem um jato com mais pressão, visando limpar os equipamentos utilizando pouca quantidade de água. Nesse processo a água é misturada com uma solução 2% amônia. Só depois dessas duas fases que a empresa parceira é acionada para finalizar o processo.

– Como usar mapas mentais para criar projetos de móveis sob medida

“A conservação da água é de extrema importância para a Basf, não somente pela sua importância como recurso natural para a humanidade, mas também por ser um recurso extremamente valioso para a produção química, já que é utilizado em diversos processos de nossas fábricas”, comenta o diretor do complexo químico de Guaratinguetá e de infraestrutura para América do Sul, Patrick Silva.

(com informações de assessoria)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile