Black Friday em novembro é preferência por maior parte dos consumidores

De acordo com pesquisa do Zoom, 43% gostariam da mudança de data pelo fato de gastarem mais no evento em nova data

Publicado em 6 de outubro de 2017 | 11:35 |Por: Ricardo Heidegger

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Diante de toda a discussão que envolve o varejo, sobre o possível mês ideal para a realização da Black Friday no Brasil, uma pesquisa para saber as opiniões de consumidores em relação ao desenrolar dessa história foi realizada pelo Zoom, site e aplicativo que tem como foco comparar preços e produtos. A ferramenta conta com mais de 2,5 milhões ofertas e mais de 300 lojas cadastradas. Lançada em novembro de 2011, faz parte da holding Mosaico Negócios de Internet.

Em levantamento realizado com quase sete mil pessoas, 57% aprovam que o evento aconteça em novembro. Dos 43% que gostariam da mudança de data da Black Friday, 46% acham que outubro ou dezembro são os meses mais indicados para acontecer o evento.

Divulgação Zoom

Black Friday

A maioria dos consumidores continua apoiando a realização da Black Friday em sua data tradicional

Já a maioria que defende esta ideia (81%), afirma que poderia gastar mais se a mudança de data acontecesse, sendo que 34% desembolsariam mais de R$ 2.000 em compras, 32% gastariam mais de R$ 1.000, e 24% de R$ 500 até R$ 1.000. O restante (9%), afirma que gastaria no máximo R$ 500, número que mostra o apelo do público que defende a mudança da data.

Divulgação Zoom

Black Friday

O número aproximado do valor de compra praticamente se iguala, mas poucos consumidores pensam em números abaixa de R$ 1.000

“Os consumidores brasileiros cada vez mais reconhecem a Black Friday como uma oportunidade de encontrar ofertas relevantes para comprar o que desejam. As pessoas aproveitam melhor o evento por ele acontecer em um período em que elas têm seus orçamentos complementados pelo recebimento do 13º salário”, comenta o diretor executivo do Zoom, Thiago Flores.

Vendas na data podem chegar a R$ 2,19 bilhões no e-commerce

Com proximidade com o Natal, os consumidores vêem isso como uma oportunidade que permite que os compradores economizem, adiantando as compras para a data. “Portanto, mudar o evento, que já está consolidado, é algo que requer um enorme planejamento do varejo para efetivamente acontecer. Como isso foi uma discussão, quisemos ouvir dos consumidores o que eles acham dessa hipótese”, completa o diretor executivo.

(com informações de assessoria)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook