Série Especial: LED nos projetos de marcenaria valoriza mobiliário

Cinco reportagens especiais apresentam maneiras de como utilizar LED, a grande tendência para móveis nos próximos anos

Publicado em 6 de junho de 2017 | 13:28 |Por: Érica da Costa Diniz

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A iluminação com lâmpadas de LED é utilizada em ambientes desde 1999. Mais recentemente a tecnologia passou a ser empregada em projetos de mobiliário da marcenaria. Em vista disso, o Portal eMóbile elaborou uma série com cinco reportagens contando como é possível utilizar essa tecnologia de iluminação para tornar os móveis mais atrativos, quais tipos devem ser usados na marcenaria e como deve ser feito a montagem de projetos para a combinação das iluminações do ambiente com a do mobiliário.

O uso de LED (Light Emitting Diode ou Diodo Emissor de Luz) vem crescendo no Brasil nos últimos anos. Desde a crise energética de 2015 e a proibição em 2014 das lâmpadas incandescentes de 60 watts (W), as vendas de LED aumentaram e o que era apenas uma tendência tornou-se realidade. Apesar de ser um investimento alto comparado com as lâmpadas fluorescentes e halógenas, o LED utiliza menos energia, pode diminuir em até cinco vezes o consumo e proporciona uma iluminação mais eficiente do que lâmpadas comuns, além de ter uma vida útil maior.

LED no mobiliário
A coordenadora e professora do curso de Light Design do Instituo Europeu di Design (IED), Carina Tavares, diz que o importante para o uso de lâmpadas é o conceito de luz esperado para o mobiliário ou ambiente, pois esses efeitos não estão diretamente relacionados ao LED.

Crédito: Divulgação Häfele

Uso de LED - Hafele - LED 02192811_0

LED utilizado em harmonia com iluminação do ambiente

“Devemos questionar se será uma luz geral para o ambiente, de tarefa, de destaque ou apenas decorativa. E depois, o efeito que queremos para o móvel/ambiente”, reforça.

O gerente de produtos da Häfele, Ricardo Schartner, explica que há três propósitos diferentes para o uso do LED: decorativo, funcional e destaque.

Decorativo:  também chamada de iluminação de ambientação, está relacionada à decoração do ambiente. Com uma temperatura de cor mais quente, entre 2700 K e 3000 K, este tipo de iluminação cria um ambiente mais relaxante. É possível brincar com as cores, por meio de um sistema RGB (Red, Green, Blue) com controle remoto.

Funcional: a iluminação serve para a funcionalidade de ambientes como escritórios, closets, cozinhas, etc. Sua temperatura é de cor mais fria, variando entre 4000 K e 6500 K, o que garante uma melhor visibilidade da área iluminada, além de preservar a fidelidade da cor dos objetos.
Destaque: que proporciona um efeito focado muito usado para destacar um objeto. Com um pequeno grau de abertura, estas luminárias criam um cone de luz direcionado a um objeto específico, realçando-o.

Mais utilizados
Entre os diversos tipos de LED disponíveis no mercado, a professora do IED cita quais os principais LED os efeitos que provocam no ambiente.

Lampleds: LED que imita as lâmpadas convencionais.
Sistema de LED: luminárias pontuais, lineares, outras.
Temperatura de cores: do branco quente ao branco frio e sistema que utiliza o RGB (Red-Green-Blue).
IRC: índice de Reprodução de Cor.
Backlight: luzes utilizadas em painéis de publicidade, letreiros. (foto)
UpLight: pontos de luz, móveis ou não, no qual a luz é projetada para cima ou para o móvel, local, que se deseja iluminação.
Downlight: a luz é projetada de cima para baixo. Podem ser utilizadas em todo o ambiente, ou como destaque para o móvel.

Efeitos
Para Carina, os efeitos esperados são uma questão do conceito. “Podemos ter um armário suspenso sobre uma bancada de cozinha, com uma luz linear e contínua, ou vários pontos de luz com pequenos focos. O mesmo mobiliário, porém, com linguagem diferente de luz. Se formos pensar numa luz linear, podemos instalar no mesmo mobiliário na frente, no meio ou no fundo. E isso muda o efeito também”, exemplifica.

Crédito: Divulgação Häfele

Uso de LED - Hafele - LED edt 3022_Loox

Exemplo de uso Downlight

Ela destaca que a pergunta inicial a ser feita é o que será iluminado e como. “Na iluminação não existem fórmulas prontas. Trata-se da criação da luz em relação a um objeto. A iluminação associada à marcenaria é a parte mais charmosa de um projeto de iluminação”, ressalta.

A coordenadora diz que a luz pode ser embutida no móvel ou direcionada, de modo a iluminar o móvel ou a área que deseja. “Falar de efeito de luz é um assunto de criação, além do efeito pontual e linear, existem backlight, painel estrelado com fibra ótica + led, up light, downlight”.

O gerente da Häfele aborda sobre a importância da escolha da luminosidade, de maneira que essa traga conforto e bem-estar para o ambiente. As lâmpadas de luminosidade branca ou amarela, por exemplo, vão muito além da cor. “A iluminação de móveis e mobílias precisa combinar harmoniosamente com a luz já presente no ambiente, a fim de acrescentar mais perspectiva à peça, criando o que a Häfele chama de quarta dimensão”, pontua.

Häfele apresenta novidades na Interzum 2017

“Dessa forma há a possibilidade de criar diferentes efeitos, por exemplo, a iluminação de conforto proporcionada por uma luminária com um amplo ângulo de refração e um sensor de movimento dentro de um guarda-roupa, à iluminação funcional de superfícies de trabalho em uma cozinha por lâmpadas mais potentes”, exemplifica Schartner. “Assim, a função que será exercida pela iluminação LED é o que definirá e diferenciará os efeitos gerados”, completa.

Série Especial LED nos projetos de marcenaria
– 06/06: Iluminação valoriza o mobiliário
– 07/06: Planejamento da aplicação do LED no móvel
– 08/06: Efeitos do LED na cor da madeira
– 09/06: Características do LED na iluminação dos móveis


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook