Série Especial: como planejar a aplicação do LED no móvel

Marceneiros devem se atentar ao efeito de iluminação desejado e ao modelo de lâmpada para cada tipo de mobiliário e ambiente

Publicado em 7 de junho de 2017 | 14:12 |Por: Érica da Costa Diniz

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A segunda reportagem da Série Especial LED nos projetos de marcenaria fala sobre a importância do planejamento para a aplicação das lâmpadas de LED nos móveis. Para um bom resultado, a utilização deve ser harmônica com o projeto mobiliário e com a iluminação ambiente. O gerente de produtos da Häfele, Ricardo Schartner destaca que ao planejar a iluminação LED em um móvel, deve-se considerar qual função aquela peça irá desempenhar.

Como exemplo, Schartner fala sobre a iluminação de uma cozinha, ambiente no qual as pessoas se reúnem para cozinhar, fazer suas refeições, receber amigos, um espaço de união. “Temos uma área funcional, onde se localiza o fogão, a pia e a bancada, nas quais ocorrem o preparo do alimento. Nesta área é preciso investir em uma iluminação mais forte, que aumente a nitidez dos produtos. Porém, neste mesmo móvel da cozinha, pode haver uma cristaleira, na qual são armazenados copos e taças. Assim, uma iluminação decorativa irá adicionar mais sofisticação aos objetos”, explica.

Série Especial LED - Hafele - LED_2036 edt

Destaque para área de “respiro” entre o móvel e o LED

A coordenadora e professora do curso de Light Design do Instituo Europeu di Design (IED), Carina Tavares, ressalta que diferente do que muitas pessoas pensam, o LED aquece.

Novo Canal Marcenaria do Portal eMóbile

“É necessária uma atenção quanto ao planejamento do LED na marcenaria, quanto maior a potência, maior será o calor emitido. No caso de luminárias embutidas no móvel, o ideal seria uma área de “respiro” para que tenha uma troca de calor. Os LEDs de baixa potência geralmente não têm bons fluxos luminosos”, conta a professora.

O LED pode ser utilizado apenas como efeito decorativo, lembrando que a escolha do produto deve ser feita antes do projeto do móvel, dessa forma, os encaixes ficaram perfeitos. Carina explica que devido ao aquecimento das lâmpadas são necessários alguns cuidados.

A aplicação de fitas de LED no mobiliário, por exemplo, por falta da troca de calor a cola não resiste e a fita acaba descolando do móvel, o que gera uma das maiores reclamações. “Neste caso, o ideal seria a aplicação de perfil metálico com fita de LED e difuso. O metal ajuda na dissipação de calor, dar melhor acabamento e o difusor diminui a visualização dos ‘pontinhos’ da fita de LED”, esclarece a profissional.

Planejamento de LED no mobiliário
O projeto de LED sempre anda junto com a marcenaria, para ser harmônico com o ambiente os projetos luminotécnicos devem combinar entre si, de maneira que não “briguem”. Além disso, Schartner explica que a iluminação deve conferir mais perspectiva à peça, criando o que a Häfele chama de quarta dimensão.  “É preciso planejar a iluminação de forma a criar sutis nuances, a fim de evidenciar ou ocultar áreas específicas, sempre com o objetivo de criar um ambiente perfeitamente integrado”.

Carina aponta em etapas como dever ser desenvolvido o projeto luminotécnico ambiente.
Projeto básico: o projeto inicial de iluminação, mesmo não tendo nenhuma definição de marcenaria ainda, são previstos os Pontos de Força (PF), com uma carga máxima de potência, para alimentar a marcenaria.
Projeto Pré-executivo e executivo: detalhamentos do projetista de iluminação são fundamentais para somar com o projeto de marcenaria. Há uma troca de informações importante.

Ela reforça que em uma residência, é bom separar os circuitos para que o cliente tenha opção de acender as luzes, o LED de forma diferente. O marceneiro também deve se atentar as dimensões dos móveis, para que não conflitam com a iluminação ambiente.

Um projeto deve acompanhar o outro, e que o respeito entre os profissionais é fundamental. “É necessário uma conversa bem elaborada entre as duas áreas para que não haja desvio do conceito arquitetônico/design de interiores. As alterações ao comprar um produto diferente do que foi especificado deve ser informado de ambas as partes, para chegar num consenso. Existem projetos, onde toda iluminação do ambiente, sai através da marcenaria. Não existindo pontos de luz no teto, parede ou piso”, conta.

Série Especial LED nos projetos de marcenaria
– 06/06: Iluminação valoriza o mobiliário
– 07/06: Planejamento da aplicação do LED no móvel
– 08/06: Efeitos do LED na cor da madeira
– 09/06: Características do LED na iluminação dos móveis


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook