Sob Medida analisa com marcenarias e revendas o preço dos painéis de madeira

Relembre a matéria sobre análise de preços de painéis da edição 102 da Móbile Sob Medida

Publicado em 6 de dezembro de 2018 | 8:00 |Por: Ricardo Heidegger

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A recente crise econômica atingindo seu ápice durante 2016 complicou a vida de todo o país – consumidores e empreendedores – e o setor moveleiro foi o terceiro mais atingido. Como em outros setores, o pequeno e médio empresário é sempre o mais afetado por períodos de recessão, por possuir uma estrutura menos sólida e menor poder de negociação e crédito. Uma das principais mudanças a afetar a marcenaria foi o preço dos painéis de madeira. Marceneiros de diferentes regiões do Brasil entrevistados para esta reportagem afirmaram ter ocorrido aumentos entre 12% e 20% durante 2016.

A redação da revista Móbile Sob Medida entrou em contato com os principais fabricantes de painéis para comentar sobre o assunto e explicar a composição do preço dos painéis de madeira, mas as paineleiras optaram por não participar da reportagem.

Também foi realizada pela redação uma pesquisa Cliente Oculto no dia 08 de fevereiro daquele ano, na qual foi feita uma pesquisa de preços com algumas revendas de painéis nos estados do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo e Bahia. Na pesquisa foi questionado o valor de um painel de MDF branco texturizado de quatro diferentes marcas e um painel de padrão madeirado de uma marca específica (confira tabela comparativa a seguir). Os valores apresentados são relativos ao consumidor final não afiliado à revenda ou rede.

Divulgação

Preço dos painéis de madeira

Principal matéria-prima da marcenaria, os painéis de madeira sofreram reajustes de até 20% em 2016

Por serem estados produtores da matéria-prima, as revendas de São Paulo e Paraná apresentaram os menores valores nos painéis brancos, além de preço dos painéis de madeira bastante similares entre si. Já as revendas baianas mostraram preços médios um pouco menores em relação às revendas gaúchas e o menor preço na chapa em padrão madeirado. Mas é importante frisar que o produto estava com valor promocional na data da pesquisa.

No mais, a maioria das revendas entrevistadas no estado apresentavam falta dos produtos das marcas pesquisadas. Por fim, o Rio Grande do Sul apresentou as maiores diferenças de preço dos painéis de madeira, tanto nos painéis brancos quanto madeirados, com uma diferença de até 60% em relação ao Paraná, indicando a importância de pesquisa de preços antes da compra do produto.

Preço dos painéis de madeira

De acordo com o marceneiro proprietário da Marcenaria Irmãos Bulescem, João Gabriel Bulescem, de Curitiba (PR), em geral, houve aumento de entre 10% e 12% no preço dos painéis em 2016. Além disso, afirma ter percebido queda na qualidade do produto. “Eu trabalho há muito tempo com MDF e estou notando que algumas chapas estão muito macias, parece que estão economizando até no material. Antigamente sentíamos que eram mais resistentes. Hoje parece que estão com densidade menor e preço maior”, comenta.

Já para o marceneiro e proprietário da VZ Móveis, Valdeci Zanin, de Amparo (SP), os reajustes foram pequenos nos últimos 12 meses, pois vê na grande concorrência o maior motivo na estabilização dos preços. Contudo, em relação aos custos, afirma que os gastos com energia elétrica no estado foram os maiores vilões do ano.

Localizado em Brochier, no Rio Grande do Sul, o proprietário da Marcenaria EZ, Edner Zirbes, também afirma não ter percebido aumentos significativos no último ano. Contudo, comenta que alguns fabricantes vêm aplicando os aumentos gradativamente ao longo do ano, ao invés de apenas um reajuste anual como era praticado até 2015.

Divulgação

Preço dos painéis de madeira

Preços dos painéis de MDF chegam a variar 60% entre estados

Em relação aos preços praticados no Rio Grande do Sul serem mais elevados do que em outros estados, Zirbes acredita que as causas estão no frete, por ser uma localidade mais afastada, e pelo fato do Estado estar em crise, declarando estado de calamidade financeira (junto com Rio de Janeiro, entre outros) e elevado impostos e taxas.

“Como o governo não tem dinheiro, eleva o imposto em tudo. Percebo quando falo com amigos de fora que tudo fica mais caro e é só ir para Santa Catarina que tudo fica mais barato. É qualquer coisa, praia, mercado, hotel. Tem uma fábrica da Masisa em Montenegro, que fica muito perto daqui, só que eles não fabricam MDF, somente MDP, e não é o que nós usamos. Mas, mesmo se usássemos, nós teríamos que comprar pela revenda, que acabaria colocando um preço muito próximo do MDF”, avalia Zirbes.

– Definir preço do móvel na marcenaria de forma correta é ideal para saúde financeira

Pelo lado das revendas, o sócio-proprietário da Viplac Madeiras (associada à Rede Made Brasil), de Salvador (BA), João Carlos Rios, lembra que houve em torno de três reajustes em 2016, somando um aumento na casa de 20% no preço dos painéis de madeira, com mais um reajuste de 15% programado para março. Em relação à diferença de preço com outros estados, Rios afirma que existe uma diferença no ICMS, que em São Paulo é 7%, enquanto é cobrado 12% na Bahia.

Todavia, o empresário não acredita que os preços praticados no estado sejam muito diferentes, uma vez que os fabricantes possuem práticas comerciais que não afetam locais mais afastados. “As fábricas monitoram os seus concorrentes, então, não têm porquê vender mais caro”, analisa Rios. “Tem um ou outro cliente que às vezes pelo poder de barganha ou pela parceria que tem com o fornecedor consegue um preço melhor, mas de modo geral não varia tanto”, acrescenta. Acesse o link abaixo para ver o preço dos painéis de madeira na tabela.

Reportagem originalmente publicada na edição 102 da Móbile Sob Medida


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile