Consultores do Senai ensinam como implantar o 5S na marcenaria

Usada pelo Japão, para se reestruturar após a 2º Guerra Mundial, a metodologia dos 5S conquistou o mundo empresarial

Publicado em 8 de Janeiro de 2018 | 8:00 |Por: Pedro Luiz de Almeida

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Ter um processo produtivo padronizado e eficiente é o que a maioria dos empresários almejam para sua marcenaria. Esse hábito contribui para um dia de trabalho mais organizado e uma fábrica mais competitiva. Para alcançar esse objetivo os profissionais sob medida podem implantar o 5S na marcenaria. Processo que não requer investimentos financeiros, apenas mudança de pensamento e comprometimento.

A ferramenta ganhou reconhecimento após ser aplicada massivamente nas indústrias japonesas, na década de 1950. Na ocasião, o país, destroçado pela 2ª Guerra Mundial, buscava se reestruturar e ter produtos competitivos com americanos e europeus. Os resultados atraíram os olhares das empresas do ocidente que buscavam melhorar a produtividade no chão de fábrica.

Divulgação

5S na marcenaria

Walter Rocha, do Senai, aconselha que o 5S seja implementado antes de modelos mais complexos de gestão

“Um dos fatores determinantes para empresas que desejam alcançar níveis maiores de produtividade e, consequentemente, maiores lucros, é a organização do ambiente de fabricação. Antes de abordagens mais avançadas, as empresas precisam ter aplicados a filosofia dos cinco sensos”, recomenda o consultor do Instituto Senai de Tecnologia em Madeira e Mobiliário, Walter Rocha.

“O 5S é um sistema que visa reduzir o desperdício e otimizar a produtividade. Resultado obtido por meio da manutenção de um local de trabalho organizado, limpo e funcional”, explica o instrutor de formação profissional do Senai, Valmir Borine.

5S na marcenaria

Para os marceneiros que desejam adotar o 5S na marcenaria é importante alinhar a metodologia com a equipe de trabalho. “O espaço deve ser aproveitado da melhor maneira. Deve-se deixar só o que é necessário e na quantidade para, no máximo, um dia de trabalho (utilização). Em seguida, organiza-se o que ficou deixando mais próximo o que se utiliza com mais frequência e mais distante o que utiliza com menor frequência (ordenação)”, exemplifica Rocha.

O próximo senso é o de higiene, praticado por meio da limpeza do ambiente de trabalho e dos equipamentos. “Com estas três fases iniciais, o salto qualitativo na empresa justifica o esforço. Para a manutenção, padronizar a nova forma de trabalho e o monitoramento constante (sensos de padronização e disciplina) ancoram as melhorias e são necessários para a empresa se manter organizada e limpa”, explica.

Shutterstock

5S na marcenaria

Os 5S, originalmente, representam cinco palavras japonesas que começam com a letra s: Seiri, Seiton, Seiso, Seiketsu e Shitsuk. No Brasil, as palavras se tornaram “sensos”

Borine também salienta que “implementar o 5S na marcenaria significa limpar e organizar o local de trabalho gerando nova configuração. Este método incentiva os trabalhadores a melhorar suas condições de trabalho. Além disso, ajuda a aprender a reduzir o desperdício, o tempo de inatividade não planejado e os inventários em processo”, comenta.

Diferencial competitivo

Dentre as vantagens obtidas por meio da implementação do 5S na marcenaria estão: local de trabalho limpo e organizado, o que melhora a segurança e diminui riscos de acidentes, redução de quebras de equipamentos, diminuição de estresse e cansaço dos operadores, aumento do espaço útil, diminuição da distância de fluxo, aumento da produtividade e flexibilidade e maleabilidade para novas tarefas.

Para o marceneiro que deseja entender mais sobre como o 5S pode auxiliar na gestão da produção de sua empresa, o Sebrae disponibiliza um curso online sobre o assunto, totalmente gratuito e com direito a certificado. Para fazer o curso, basta acessar este link.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile