Zow 2014: Leia a cobertura da feira na RG Móvel

Tradicional feira da indústria diminui em área, mas ainda é capaz de gerar negócios na Alemanha

Publicado em 3 de abril de 2014 | 14:55 |Por: Renata Bossle

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O número de expositores subiu de 402 para 450, mas a organização da Zow, feira alemã para fornecedores da indústria moveleira, resolveu reduzir o espaço. Segundo o diretor da Clarion Events, Horst Rudolph, houve muitos cancelamentos no segmento de ferragens. “Na Zow 2013, a grande distância entre os exibidores dentro dos salões foi criticada”, justifica.

Para a coordenadora de marketing da Proadec em Portugal, Clara Cruz, a feira esteve longe dos seus tempos áureos. “Este conceito inovador de feiras, que inclui tudo o que o expositor precisa – desde o espaço e o mobiliário até ao catering – tem perdido relevância ano após ano”, aponta.

Leia mais:
Interprint apresenta novos pontos de vista durante a Zow
Holz-Handwerk: Grupo SCM participa de feira na Alemanha
RG Móvel: Novas edições disponíveis para acesso gratuito

De acordo com ela, o ressurgimento da Interzum em 2011, após os resultados fracos de 2009, também contribuiu para esta decadência da Zow, pois os profissionais preferem investir em um evento internacional com retorno garantido. Em âmbito local, ela acrescenta que se trata de uma feira cara, sendo preterida pelos profissionais alemães por opções mais econômicas, como a Holz-Handwerk.

Contudo, Clara admite que a participação da Proadec excedeu as expectativas da empresa. “Nosso enfoque era o mercado alemão. A visitação ao nosso estande foi muito grande e os produtos apresentados suscitaram muito interesse”, comemora.

Divulgação Clarion Events/Deutschland GmbH

Zow 2014

Futuro da Zow parece incerto, feira depende de melhores resultados do segmento para crescer

 

Quem também teve receio quanto a participação, mas acabou marcando presença foi a Impress. Nesse caso, a dúvida surgiu após a Interzum 2013. Segundo a empresa, foi preciso observar vários argumentos e posicionamentos estratégicos, mas para o porta-voz do conselho administrativo da empresa, Heimo Bresztowanszky, a decisão foi acertada: “A quantidade de visitantes não é importante, mas a qualidade da comunicação com eles”.

Em 2015, contudo, a empresa não deve retornar para a Zow, preferindo se concentrar novamente na Interzum. “Ainda não tomamos uma decisão com relação à participação na Zow 2016”, pondera Bresztowanszky.

Confira a cobertura completa na edição 55 da RG Indústria & Marcenaria.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile