Conheça tendências em papéis decorativos

Nos padrões dos móveis, brasileiros preferem desenhos naturais e cores claras, segundo fabricantes de papéis decorativos

Publicado em 8 de janeiro de 2015 | 10:00 |Por: Thiago Rodrigo Pereira da Silva

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

As mudanças nos padrões e cores dos móveis não são criadas por acaso, sendo que muitas delas são detectadas previamente e traduzidas em formas de produtos. O mercado de papéis decorativos para móveis se tornou diversificado e variado, algo que vai de encontro à versatilidade que o consumidor brasileiro busca.

Divulgação Schattdecor

Papéis decorativos - Schattdecor

Padrão Idaho Erle da Schattdecor

Além disso, os consumidores, seja por suas próprias experiências, por meio de outras pessoas e pelo conhecimento adquirido rapidamente por intermédio da internet, estão ficando cada vez mais exigentes e informados quanto a qualidade dos materiais – ao ponto de perceberem as representações infiéis de produtos naturais. Assim, desenhos aliados às texturas têm ganhado forte espaço no mercado, de forma que os mesmos se aproximem ao máximo das características táteis e visuais percebidas na natureza.

A diretora geral, comercial e de marketing da Interprint Brasil, Lourdes Manzanares, declara que a propensão ao natural não é nova. “Existe há dois, três anos com elementos de madeira com caráter. E a madeira com caráter mostra o que ela é. Ademais, há o novo uso de metais e pedras, que estão mais presentes no móvel e, principalmente, em complementos”, observa.

Divulgação Impress

Papéis decorativos - Impress

Padrão Shabby da Impress

No Brasil, o diretor comercial da Impress, João Leon Martinez enxerga que o consumidor transita por vários níveis referenciais, de classes econômicas, regiões, culturas. “Temos uma diversificação de gostos e estilos”, destaca. Por outro lado, há uma absorção com muita facilidade das tendências, mesmo estando em qualquer parte do país.

“O rústico, por exemplo, com uma combinação adequada de cores, vai acabar tendo uma boa aceitação em diversas regiões do Brasil. Isso também mostra um pouco do amadurecimento do consumidor, porque antigamente ele enxergava aquilo como algo que não pertencia a ele. Hoje não, o consumidor brasileiro tem uma vontade de presenciar e aproveitar tendências e padrões”, pontua o diretor da Impress.

Leia mais
A tecnologia da impressão digital
Tendências para o consumidor brasileiro
Os novos consumidores do Brasil

A responsável pelo marketing da Schattdecor, Ana Cláudia Marques, analisa que o usuário brasileiro procura aliar décors mais neutros com outros elementos mais marcantes. Dessa forma, os madeirados mais claros e esbranquiçados ganham grande valorização desse público para compor os ambientes domésticos. “Isso os permite ousar mais em acabamentos e acessórios”, enfatiza Ana Cláudia, que acrescenta: “Estes materiais mais claros iluminam e ampliam os espaços que, hoje, na realidade brasileira, estão ficando cada vez mais compactos”.

No exterior

Divulgação Lamigraf

Papéis decorativos - Lamigraf

Desenhos e texturas mais naturais estão cada vez mais fortes

Nas tendências mundiais, Ana Cláudia aponta que os padrões naturais tem ganhado maior destaque, antes ocupado pelos desenhos rústicos. “O caminho agora é a suavização destes rústicos em cores e características mais próximas da madeira real. Padrões como estes proporcionam maior conforto e aquecem os ambientes”, afirma.

O diretor executivo da Lamigraf, Pep Colomer, segue brevemente a mesma linha. “Estamos voltando a ter tons mais quentes, fim do minimalismo. Além disso há a personalização de ambientes”, salienta.

Martinez, da Impress, não foge à regra e comenta sobre a percepção clara de renovação dos clássicos, com madeiras tradicionais readequadas a combinação de tudo isso que vem acontecendo. “Isso leva às madeiras, aos desenhos o que chamamos de colorplay, cada vez mais naturais na cor que realmente se procura e que o mercado deseja, com profundidade visual da madeira. Voltamos à naturalidade”, considera.

Pensando em atender diferentes tendências a Interprint criou o Six Pack para demonstrar em seis desenhos uma personalidade diferente em cada um deles. “Com isso é possível cobrir uma parte grande do mercado: um mais rústico, outro com mais caráter, outro mais leviano e minimalista”, garante Lourdes. “A ideia do Six Pack é levar uma solução ao cliente”, enaltece a diretora, que acrescenta: “Uma empresa tem que se adaptar e mudar antes. Prever. A Interprint faz isso há muitos anos”.

Divulgação Interprint

Papéis decorativos - Interprint

Madeirados claros ganham valorização dos consumidores em ambientes domésticos


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook