Sindmóveis busca alternativas para reverter crise

Indústria moveleira de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, encerrou 2016 com fechamento de postos de trabalho

Publicado em 8 de fevereiro de 2017 | 17:51 |Por: Thiago Rodrigo Pereira da Silva

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A queda de consumo no Brasil se tornou um grande desafio para o setor moveleiro, na avaliação do presidente do Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis), Edson Pelicioli. A indústria moveleira da região, um dos principais polos do país, encerrou o ano de 2016 com fechamento de 753 postos de trabalho de janeiro a dezembro.

Divulgação Sindmóveis

Sindmóveis

753 postos de trabalho foram encerrados de janeiro a dezembro de 2016

O nível de emprego é o menor em quase dez anos, sendo superior somente ao saldo do ano de 2006. “Essa é uma crise econômica e financeira sem precedentes, que afeta todos os níveis da indústria e o setor moveleiro é um dos mais impactados”, analisa Pelicioli. Os dados do faturamento do último ano ainda não foram divulgados, mas o índice de janeiro a novembro já revelava um queda de aproximadamente 18% no faturamento nominal do polo moveleiro.

Leia mais
Sindicato comemora 40 anos
Entrevista com Edson Pelicioli
Entidades se posicionam contra reajuste do preço dos painéis

Em 2017, Pelicioli estima que a recuperação se inicie de forma gradual a partir do segundo semestre, que se dará somente com a recuperação da atividade econômica e a confiança dos agentes privados. “Um conjunto de fatores contribui para a dificuldade da retomada, como o precário ambiente de negócios, burocracia, impostos e a falta de infraestrutura que comprometem a nossa competitividade”, afirma.

Foto: Jeferson Soldi

Sindmóveis

Edson Pelicioli é o presidente da gestão 2017-2018

Para reverter a situação, o Sindmóveis pretende apoiar vigorosamente o setor com investimentos em pesquisa e promoção comercial, alcançando novos mercados e oportunidades de atuação para as indústrias associadas, inclusive com projetos de inserção competitiva nos Estados Unidos. “O principal desafio, nesse momento, é o cenário nacional e as questões mercadológicas. Precisamos buscar alternativas para que o associado possa voltar a crescer”, finaliza.

Nova Gestão
Pelicioli, que assumiu recentemente o posto de diretor da entidade, pretende dar continuidade ao trabalho desenvolvido por Henrique Tecchio e sua gestão. Seu objetivo é trabalhar com engajamento na realização de grandes projetos como a High Design & Office Expo, em agosto e na 21ª edição da feira Movelsul Brasil, em março do próximo ano.

Seguirá também com o andamento de projetos permanentes do Sindmóveis, como o Prêmio Salão Design e os projetos de fomento às exportações que contam com apoio da Apex-Brasil: Orchestra Brasil, para fornecedores da indústria moveleira, e Raiz, para o serviço do designer brasileiro.

Quer saber mais? Curta a página do Portal eMóbile no Facebook e fique por dentro do setor moveleiro.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook