Sindimam-DF aposta em proatividade para reverter crise

Para mudar a queda de faturamento e produção do polo, entidade acredita que as empresas têm que melhorar estrutura de vendas para captar clientes

Publicado em 24 de fevereiro de 2017 | 9:30 |Por: Phaenna Assumpção

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O ano de 2016 foi difícil para o setor moveleiro do Distrito Federal, principalmente pela crise da construção civil que os afetou diretamente as indústrias moveleiras do Estado. Desta forma, segundo o presidente do Sindicato das Indústrias da Madeira e do Mobiliário do Distrito Federal (Sindimam-DF), Daniel Borges Gomes, a produção caiu muito e o faturamento também. A entidade acredita que houve uma queda de mais de 50% em faturamento e produção.

Divulgação SINDIMAM-DF

Sindimam-DF Daniel Borges Gomes

Presidente do Sindimam-DF, Daniel Borges Gomes

Além de um conjunto de fatores que fizeram o mercado financeiro se retrair, outro problema percebido por uma pesquisa que o Sindimam fez no mercado local foi uma quase total falta de estrutura de vendas nas empresas moveleiras.

“Estas empresas vendiam, por demanda espontânea, muito mais do que por ação proativa delas no mercado. Essa atitude gerou juntamente com a crise financeira, o desaparecimento dos clientes. A falta de um plano B das nossas empresas, que seria o de captar clientes, criou uma situação em que muitos empresários ainda estão com muitas dificuldades de solucionar”, aponta o presidente.

Gomes acredita que este ano será um pouco melhor devido algumas medidas que o governo está tomando, porém não será ainda um ano de recuperação. Ele alerta que os empresários devem tomar cuidado com investimentos e procurar criar ou melhorar seus sistemas de vendas.

“O empresário que se preocupar, neste novo momento, apenas com o processo produtivo e máquinas está correndo um grande risco de ser, mais cedo ou mais tarde, excluído do mercado. Os paradigmas mudam de épocas em épocas no mundo em tudo que imaginamos. O paradigma da indústria moveleira, voltada para o consumidor final residencial, está em transformação. Temos que ter muita atenção nesse momento”, assinala Gomes.

Leia mais
– Consumidores pesquisam na internet para compra de móveis 
Promob apresenta crescimento no faturamento em 2016 
– Intersind avalia como incertas as expectativas para 2017 

O ponto principal e fundamental para mudar a atual situação das indústrias é tomar uma atitude mais proativa no mercado, ou seja, aprender a vender e não esperar ser comprado. Para Gomes, esta postura passiva está prestes a desaparecer devido tanto à grande concorrência entre as empresas e grande dinamismo quanto a design e novos produtos, que vem se estabelecendo já há algum tempo.

“Quem achar que quando o mercado se recuperar e as coisas vão voltar a ser como antes, está enganado. Tem muito ‘sangue novo’ no mercado, novas mentalidades, novas formas de fazer as coisas acontecerem, pessoas com visão diferenciada de atendimento, de abordagem e um conceito de Full Service”, adverte.

O presidente revela que o Sindimam-DF está desempenhando seu papel, promovendo pesquisas, treinamento e capacitação das empresas e equipes em planejamento de vendas, de mercados e de produtos, bem como ações para ampliar a base da clientela atendida.

Quer saber mais? Curta a página do Portal eMóbile no Facebook e fique por dentro do setor moveleiro.


Uma resposta para “Sindimam-DF aposta em proatividade para reverter crise”

  1. valeria disse:

    Bom dia. Gostaria de receber, se possível, uma relação de empresas do setor moveleiro-DF que possuam loja própria, ou seja, que produzam e vendam diretamente ao consumidor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile